Investigação sobre a morte de surfista na Joaquina é concluída; veja a causa

O surfista Marcelo Tonon, de 38 anos, surfava em Florianópolis quando sofreu um mal súbito e não resistiu. Ele morreu no dia 22 de julho

A Polícia Civil de Santa Catarina concluiu o inquérito que investigava as causas da morte do surfista Marcelo Tonon, de 38 anos, na praia da Joaquina, em Florianópolis, no dia 22 de julho.

Surfista Marcelo Tonon era praticante de esportes e levava uma vida saudável – Foto: Reprodução/FacebookSurfista Marcelo Tonon era praticante de esportes e levava uma vida saudável – Foto: Reprodução/Facebook

De acordo com o delegado titular da 10ª Delegacia de Polícia da Capital, João Loss, responsável pelo caso, o laudo do Instituto Geral de Perícias aponta que Marcelo morreu em decorrência de um infarto, não por afogamento.

Assim, o relatório encaminhado ao Fórum de Justiça leva a informação de que foi “morte natural”. Essa já era a suspeita inicial, de acordo com o comandante do helicóptero do Corpo de Bombeiros Arcanjo 01, Bruno Azevedo Lisboa, que realizou atendimento na praia. As manobras de reanimação realizadas na areia não tiveram sucesso.

Relembre o caso

No dia 22 de julho, uma quinta-feira, o surfista Marcelo Tonon, de 38 anos, surfava na praia da Joaquina, em Florianópolis, quando sofreu um mal súbito e caiu da prancha.

Ele foi retirado do mar por amigos. Os guarda-vidas que estavam na praia logo iniciaram as manobras de reanimação. 

Por volta das 13h, quando os bombeiros chegaram ao local, o surfista já estava em parada cardiorrespiratória. Após uma hora de atendimento, com medicação e todos os equipamentos de suporte avançado, foi confirmada a morte de Marcelo.

Participe do grupo e receba as principais notícias
da Grande Florianópolis na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.
+

Segurança

Loading...