Jovem preso confessa que matou criança durante ritual: “estou salvo”

Polícia investiga a versão pois homem teve um relacionamento com a tia da criança; ele teria jogado o corpo no rio Monday, no Paraguai

O sequestro de uma criança, de 7 anos, no último sábado (29), na cidade de Minga Guazú, a aproximadamente 20 quilômetros da fronteira do Paraguai com o Brasil, está sendo investigado pela polícia paraguaia. Neste domingo (1), três pessoas foram presas após uma série de investigações. Um dos homens detidos confessou que sequestrou e matou a pequena Naidelin, além disso jogou o corpo no rio Monday.

Suspeito confessou o crime e afirmou que jogou o corpo no rio Monday – Foto: Reprodução/Facebook/ND

De acordo com o jornal paraguaio abc Color, logo após ser preso, o jovem Héctor Eduardo Martínez Núñez, de 25 anos, confessou o crime contra a garota e revelou que era parte de um ritual satânico. “Eu a matei e agora estou salvo”, revelou o suspeito a investigação.

Leia também:

Além de Héctor, a mãe dele, Limpia Concepción Núñez Goiburú e Elvio Ovidio Cardozo Cristaldo, de 32 anos, também foram detidos.

Crime na fronteira

Naidelin foi sequestrada em uma rua, próximo da casa onde morava, por volta das 18h30 do último sábado (29). Após algumas denúncias e investigações da polícia paraguaia, três suspeitos foram presos neste domingo (1). O jovem Héctor confessou que foi o responsável pelo crime e ainda indicou o local onde estaria o carro utilizado. No endereço os policiais localizaram o veículo apontado por testemunhas como o responsável pelo sequestro.

Em depoimento, Héctor, que é ex-namorado da tia de Naidelin, revelou que tirar a vida da criança seria parte de um ritual satânico. Entretanto, a investigação suspeita da versão apresentada pelo homem.

Para a polícia, o crime pode ter sido cometido uma vingança, visto que a tia de Naidelin terminou o relacionamento com Héctor há pouco menos de um mês.

Busca pelo corpo

Após o jovem revelar onde teria jogado o corpo, mergulhadores fizeram buscas no rio Monday e encontraram um corpo, que pode ser da garota. Entretanto, como o corpo foi queimado, apenas exames poderão comprovar a identidade da vítima.

O médico legista Eduardo Cano informou que o corpo localizado mede cerca de 1,35 metros, mas não é possível identificar o sexo, nem a idade e nem se algum material foi utilizado para a morte.

A família da garota aguarda pela identificação.

Ameaças contra o suspeito

Nesta segunda-feira (2) circularam vídeo nas redes sociais com possíveis ameaças contra Héctor. Nas imagens, dois detentos com os rostos cobertos com camisetas e armas caseiras nas mãos, declaram que o jovem terá que ‘enfrentá-los’ no sistema prisional.

+

Segurança