Ladrões de carros importados estão de olho nas concessionárias da Capital

Mineiro de Montes Claros, Rodrigo Aguiar Souza levou um mitsubishi, um Fiat 500 e um Cruiser da revendedora sem os funcionário notarem

Ladrões de carros
Nunca deixe a chave com guardadores de carros. Ao manobrar o importado da garagem para expô-lo no pátio da concessionária ter o cuidado redobrado de não deixar a chave na ignição. No ambiente do lar, as chaves também devem ficar bem guardadas. Adotando estas precauções, dificulta-se o furto. Ladrões de carros importados estão migrando de outros estados para Florianópolis. Recentemente, o policial Murilo, da 4ª DP, deteve o mineiro de Montes Claros, Rodrigo Aguiar Souza. Ele vinha agindo como um corisco em  concessionárias. Em uma revendedora do Norte da Ilha, o istepô ficou manjando um funcionário manobrando os carros e quando ele percebeu um Mitsubishi com a chave na ignição deu o bote.  O mineiro foi capturado, dois dias depois, saindo de um posto de gasolina com outro carro importado: um Fiat 500.  O delegado da Deic, Alexandre Carvalho se interessou pelo caso,pois investigava o furto do Fiat 500 e já requisitou o depoimento do mineiro.

Tudo igual
O deficiente Alberto tomou um remedinho para ficar em ponto de  bala e subiu para uma das espeluncas da Conselheiro Mafra, Centro,  com a garota de programas Vanessa. Depois de satisfazer as necessidades sexuais foi tomar uma ducha e quando retornou encontrou o marido de Vanessa na cama. De ativo,  Alberto passou para passivo, além de ter a carteira de dinheiro e o celular furtados por Rafael. Alberto passou na 1ª DP, registrou b.o. e reclamou que não conseguia sentar direito.

Vó em jogatina
A rapaziada da 3ª DP de Capoeiras não está dando moleza para a farra do primeiro ao quinto. No meio da semana foram checar denúncia anônima de uma jovem que não suportava mais ver a avó perder tanto dinheiro no bingo e aprenderam 40 máquinas caça-níqueis. A batida policial aconteceu na área do Continente. O proprietário apenas foi submetido a um termo circunstanciado. Os clientes prestaram depoimento e também foram liberados.

Cochilo
O funcionário público Luiz Carlos cochilou num shopping da Capital se deu muito mal. Enquanto conversava com um amigo,  deixou a bolsa sobre o balcão de uma loja. Três minutos depois quando se voltou para o balcão não encontrou mais nada. Ele chamou o segurança e como não adiantou passou na polícia e para fazer o boletim de ocorrência. Luiz Carlos disse que levaram o cartão bancário, carteira de habilitação e dinheiro.

Golpe
O manezinho Marcelo recebeu telefonema de um escritório de advocacia de São Paulo sobre o  débito de R$ 160 mil, referente ao financiamento de uma camionete Montana e Renault Megane. De acordo com o aviso, o negócio havia sido fechado em Curitiba (PR).  Marcelo procurou a 1ª DP e disse que nunca esteve em Curitiba e não conhece quem teria usado seu nome para fazer o financiamento.  Ele já deixou bem claro que não vai pagar por um produto que não consumiu.

Beira-mar Norte
Um funcionário público, que teve o carro furtado em frente ao trapiche da Beira-mar Norte, Florianópolis,  denuncia a falta de policiamento ali à noite. Ele reclamou na 1ª DP da Capital que deixou o carro ali às 21h30. Meia hora depois quando retornou encontrou o vidro da porta dianteira quebrado e sentiu a fata de uma bolsa contendo dinheiro,  documentos pessoais e o crachá do trabalho.

Frase:
“Não é nosso objetivo investigar a viagem pessoal do delegado a Miami, mas saber detalhes sobre a ida da equipe até o Mato Grosso do Sul.  Precisamos saber os objetivos desta operação, os motivos e o resultado”, Newton de Andrade, corregedor-geral da Polícia Civil.