Mãe encontra filho no IML depois depois 12 dias de buscas em Florianópolis

Fernando saiu no dia 24 de outubro para uma festa com amigos na Barra da Lagoa. Amanhã ele completaria 25 anos

Tristeza
Eliane Chiapetti não esperava um fim tão trágico para o filho Fernando Cesar de Souza, desaparecido desde o dia 24 de outubro. Naquele dia, Fernando deu um beijo na mãe e disse que ia à festa de um amigo na Barra da Lagoa, Leste da Ilha. O jovem pegou um ônibus na frente de casa e não voltou mais. A última imagem foi captada por câmeras de um hostel e o flagraram retornando da trilha da prainha, na Barra da Lagoa, às 16h de sábado, 24, caminhando ao lado de uma mulher jovem. Naquele dia ele saiu com R$ 2 mil. Disse para os familiares que iria pagar o carnê da prestação do carro de um funcionário da oficina na qual ele era sócio com o padastro. Com o passar do tempo, a angústia da mãe apertava cada vez mais o coração. Ela ainda tinha esperanças de encontrá-lo vivo e planejava uma grande festa para o retorno do filho. Eliane gostaria que no dia do aniversário de 25 anos, comemorado amanhã, Fernando estaria presente para apagar as velinhas. Porém, tudo isto desabou quando ela foi informada de que um jovem com uma tatuagem grande nas costas havia sido encontrado na Praia do Moçambique, Norte da Ilha. Eliane foi chamada no IML e não conteve o choro.  

Divulgação/ND
Policiais militares cercaram ponto de drogas e apreenderam maconha, ecstasy e muita munição

Tráfico
Duas guarnições da PM – Companhia do Canil e do 22º BPM – entraram na Favelinha Ilha Continente, em Florianópolis, mais conhecida por Maloca, onde o tráfico de drogas é intenso, e passaram o rodo.  Prenderam os irmãos Gilberto e Fábio, que estavam com restrição de liberdade e apreenderam 3,5kg de maconha, 167 comprimidos de ecstasy, quatro buchas de cocaína e munições de diversos calibres.  A ação foi comandada pelo cabo PM André, o Deco, do Canil.

PM mandou bem
Mandou bem a Polícia Militar ao prender, rapidinho, os assaltantes que roubaram um salão de beleza no Centro. Os bandidos levaram as bolsas das vitimas e um Hyundai  i30. A PM foi acionada e foi para cima dos criminosos. Na servidão da Felicidade, Morro da Caieira, guarnições do Choque, 4º BPM, PPT, Canil e Batalhão Aéreo se depararam com o carro. Houve intensa troca de tiros, a prisão de dois suspeitos e os objetos roubados recuperados. Foram autuados em flagrante Wennjas e Diego. Os PMs recuperaram três bolsas, R$ 2 mil, o carro e apreenderam a arma usada no assalto.

Esperteza
A esperteza de um cliente que anotou as placas da motocicleta utilizada no assalto à loja do Óleo, em São José, foi fundamental para a polícia encontrar o dono da motinho, o Preto. A PM estava na casa dele, quando chegou Robson, suspeito de entrar na loja, para devolver a moto usada na fuga. No celular de Robson havia mensagens de um funcionário da loja revelando o dia do pagamento. Foram roubados R$ 22 mil, mas a PM apreendeu apenas R$ 1.974. O restante teria ficado com um segundo ladrão, conhecido por Leãozinho do Goiabal, ainda foragido.

Abordagem
Durante ronda de rotina no bairro Abraão, Continente, em Florianópolis, uma guarnição do 22º BPM desconfiou da atitude de um grupo de jovens e tentou abordá-lo em plena tarde de terça-feira. Os suspeitos correram e deixaram para trás uma mochila contendo três tablets, balança, dois carregadores alongados para calibres .40 e 9mm, além de 19 munições de 9mm e cerca de um quilo de maconha. Todo o material apreendido foi encaminhado para a 4ª DP.

Prisão
Agentes da Delegacia de Repressão a Roubos cumpriram mandado de prisão e capturaram no bairro Cachoeira do Bom Jesus Jonathan, suspeito de envolvimento em furtos, em Florianópolis. Ele é investigado por dois assaltos em comércio. Segundo a delegada Cláudia Pires, ele participou com outros dois comparsas de um assalto no dia 2 de outubro deste ano, no bairro Ingleses, em Florianópolis. Os outros dois já haviam sido presos em flagrante pela Polícia Militar no dia do crime.

Crack
O dono de um bar em Três Barras, planalto Norte, foi preso pela Polícia Civil local por tráfico de drogas. Ele foi denunciado por rivais que alcaguetam à polícia que o comerciante estaria promovendo a venda de crack no bar, localizado no bairro Argentina. Agentes da Divisão de Investigação Criminal de Canoinhas, perto de Três Barras, foram até o local e o flagraram com os bolsos cheios de pedras de crack. Durante buscas pelo ambiente foram encontradas mais pedras – totalizando 142 -, balança e dinheiro. O comerciante foi autuado em flagrante e conduzido à Unidade Prisional Avançada de Canoinhas.

Loading...