Maior vazamento de dados expõe mais de 68 mil credenciais do governo

Banco de dados com mais de 3,28 bilhões de informações de empresas privadas e órgãos judiciários de todo o mundo foram expostas

O governo federal teve mais de 68 mil credenciais expostas nos últimos meses depois que vários vazamentos foram compilados e divulgados em fóruns de cibercriminosos na internet.

Segundo a agência, o vazamento pode ser considerado maior da história da internet, com 3,28 bilhões de senhas vinculadas a 2,18 bilhões de e-mails de órgãos judiciários, empresas privadas de todo o mundo sendo expostas.

Governo federal negou que haja falhas de segurança e comprometimento das informações – Foto: DivulgaçãoGoverno federal negou que haja falhas de segurança e comprometimento das informações – Foto: Divulgação

A informação é do site The Hack baseada na análise da Shyunt, uma desenvolvedora de soluções de segurança da informação. Em nota, o governo Bolsonaro negou quaisquer falhas de segurança que comprometeram informações do Estado.

Este banco de informações roubadas teria sido publicado no dia 2 de fevereiro deste ano, no mesmo fórum onde foram divulgados os dados pessoais e os CPFs de 223 milhões de brasileiros um mês antes.

Das 3,28 bilhões de senhas expostas, 1,5 milhão são de e-mails governamentais. O site ainda apontou que os Estados Unidos é o país mais afetado, com mais de 625 mil senhas de e-mails expostas.

Com 9,78 milhões de senhas vazadas, o Brasil ocupa o quarto lugar na lista de senhas de governos mais vazadas, com 68,535 (0,70% de 9.78 milhões) senhas expostas. Outros países como o Reino Unido, Austrália, Brasil, Canadá, África do Sul, México e França também foram afetados.

Outro lado

Em nota, a secretaria de Governo Digital do ministério da Economia, informou que os sistemas do governo não foram alvo de ataques bem sucedidos e que nenhuma informação do Estado foi comprometida até agora.

“Levantamento anterior, realizado em março deste ano, já havia concluído que todas as contas identificadas se referiam a cadastros dos usuários em aplicativos ou portais privados, onde o usuário utilizou o seu e-mail institucional. Portanto, reforçamos não ter havido comprometimento de nenhum sistema ou informação governamental”, conclui a secretaria.

A Caixa, que teria sido um dos alvos do vazamento, afirmou que “dispõe de tecnologias de ponta e equipe especializada em segurança cibernética para garantir os mais altos níveis de segurança aos seus processos e canais de atendimento”.

+

Segurança