‘Sinto-me vigiada’: vizinhos brigam há quase um ano por conta de câmeras de segurança

Tamara Robinson alega que se sentem vigiada pelas câmeras da casa do vizinho e não deixa mais a filha pequena brincar no jardim

Em South Wales, na Austrália, uma mãe de 27 anos vem se sentindo vigiada pelas câmeras de segurança da casa de seu vizinho. Grandin, de 28 anos, mudou-se para a residência ao lado à de Tamara Robinson no último mês de maio, ainda em 2021.

Tamara agora sente-se vigiada 24 horas por dia por seu vizinho, e não deixa mais sua filha brincar no quintal de casa por conta disso – Foto: ReproduçãoTamara agora sente-se vigiada 24 horas por dia por seu vizinho, e não deixa mais sua filha brincar no quintal de casa por conta disso – Foto: Reprodução

Desde então, a mulher que costumava deixar sua filha de 3 anos brincar no jardim e que aproveitava o tempo livre para tomar banhos em sua hidromassagem, deixou de realizar tais atividades por conta do constante monitoramento.

Segundo Tamara, o homem possui câmeras “assustadoras” que apontam diretamente para a área externa de sua casa, fazendo com que a família se sinta invadida. “As câmeras movem-se diretamente para o jardim o tempo todo. Me sinto vigiada”, diz. A história foi contada por ela ao jornal britânico The Sun.

Câmera fica presa na janela do quarto do homem, podendo ser manuseada e movimentada em qualquer direção – Foto: ReproduçãoCâmera fica presa na janela do quarto do homem, podendo ser manuseada e movimentada em qualquer direção – Foto: Reprodução

O equipamento fica acoplado na janela do quarto de Grandin, e Tamara explica que elas não são câmeras fixas, ou seja, o homem pode as mover como quiser, utilizando aparelhos de controle remoto.

“Em um minuto elas estão de frente para nós, no minuto seguinte elas estão apontadas diretamente para o jardim”, conta.

A mulher explica que já conversou com o vizinho várias vezes, e que disse a ele que não quer que filme seu jardim, principalmente por conta da filha.

Ela diz que já chegou a chamar a polícia várias vezes, mas que nada foi feito.

Banheira de hidromassagem era antes utilizada com frequência pela família – Foto: ReproduçãoBanheira de hidromassagem era antes utilizada com frequência pela família – Foto: Reprodução

Apesar disso, a polícia local comentou estar ciente sobre a “disputa” entre os vizinhos. Até o momento, os oficiais dizem que as câmeras de Grandin estão dentro do padrão, visto que ele era um operador de sistema de segurança de câmeras CFTV.

Grandin alega que as câmeras são voltadas para proteger a sua propriedade – Foto: ReproduçãoGrandin alega que as câmeras são voltadas para proteger a sua propriedade – Foto: Reprodução

Com isso, ele possui licenciamento para utilizar os equipamentos.

Ao The Sun, ele disse que “não há nada de errado com elas”, e argumenta que as lentes não estão apontadas para o jardim de Tamara.

“Elas são sensíveis ao movimento para impedir que alguém entre no meu jardim”, explica.

“Ela chamou a polícia diversas vezes, mas eles não fazem nada porque eu não estou fazendo nada de errado”, alegou o vizinho.

“Com relação às câmeras de CFTV em operação em um dos endereços, não foram identificadas infrações e elas estão operando dentro das diretrizes”, confirma a polícia. O caso segue em acompanhamento pelos policiais.

+

Segurança

Loading...