Medidas anunciadas pelo governo mantém suspensão da greve dos agentes penitenciários

Paralisação fica suspensa até segunda (14), quando os rumos do movimento serão reavaliados

A suspensão da greve dos agentes penitenciários vai se estender até a próxima segunda (14). Na manhã desta segunda (7), em reunião do governo com representantes do Sintespe (Sindicato dos Trabalhadores do Serviço Público Estadual de Santa Catarina) e dos agentes, foram anunciadas medidas que contemplam as principais reivindicações da categoria. Na próxima quinta (10), o grupo volta se reunir para avaliar o que andou nas negociações. Enquanto isso, os trabalhos nos presídios continuam normalmente.

Rogério Souza  Jr./Arquivo/ND

Agentes já foram ao Fórum de Joinville protestar e expor reivindicações

As articulações que podem encerrar de forma definitiva o movimento grevista envolveram a criação de uma comissão de estudo das reivindicações da categoria, a chamada de 300 agentes penitenciários aprovados no último concurso e alterações na lei 472/09, que trata do plano de carreira e vencimento dos servidores do sistema prisional, para incremento do quadro funcional de mais 2.600 cargos para agentes penitenciários e 800 para agentes socioeducativos. As vagas dependem de abertura de concurso.

O avanço dos encaminhamentos será rediscutido já na próxima reunião. De acordo com Ismael Budal Arins, coordenador do Núcleo Regional do Sintespe em Joinville, o que for apresentado vai definir os rumos do movimento. “O governo pediu um voto de confiança para o término da greve e esse voto foi dado. Agora, em contrapartida, os agentes estão aguardando que, de fato, o governo mostre aquilo que se propôs a fazer”, comentou.

Conforme observou, a greve está suspensa, mas pode ser retomada se a negociação não tiver resultado favorável para a categoria. “Dependendo do que for decidido na quinta, pode haver um retorno (da greve), mas nós não desejamos que isso aconteça. Nós estamos acreditando no governo, depositamos a nossa ficha, querendo que o governo atenda a classe”, completou.

Solução para o impasse

Em nota oficial, a Secretaria de Justiça e Cidadania destacou que está empenhada em resolver o impasse no sistema prisional. “O governo do Estado, dentro de suas atribuições e em respeito às Leis e determinações judiciais, está empenhado em resolver definitivamente o impasse entre o movimento grevista e o Estado, trazendo à normalidade o funcionamento de nossas unidades prisionais e, consequentemente, garantindo a habitual tranquilidade e segurança da sociedade catarinense”, diz o comunicado.

Na negociação com os agentes penitenciários e o sindicato dos servidores, participaram Antônio Gavazzoni, secretário estadual da Fazenda, Sady Beck Junior, secretário-adjunto da secretaria de Justiça e Cidadania, Roberto Carlos Garcia, diretor administrativo-financeiro do Deap (Departamento Estadual de Administração Prisional) e Leando Antônio Soares, diretor do Deap.

Participe do grupo e receba as principais notícias
de Joinville e região na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.
+

Segurança

Loading...