Moradores do Morro do Horácio protestam em frente à Casa d’Agronômica

Manifestantes de reuniram para denunciar supostos abusos praticados por policiais militares após morte do soldado Alexandre

Mais de 60 moradores desceram o morro do Horácio, para protestar em frente à Casa d’Agronômica, a residência oficial do governador do Estado em Florianópolis, no fim da tarde deste domingo (18). Os manifestantes denunciam ações repressoras da Polícia Militar após o incidente que resultou na morte do soldado Vinícius Alexandre Gonçalves, 31 anos, na noite de quinta-feira (15). O policial foi atingido entre o colete e o cinto, durante uma operação de combate ao tráfico de drogas no local e morreu no hospital na sexta-feira (16).

Moradores do morro do Horário protestam contra a ação dos policiais na comunidade - Divulgação/ND
Moradores do morro do Horário protestam contra a ação dos policiais na comunidade – Divulgação/ND

O auxiliar técnico Danilo Novaes, 29 anos, se juntou aos demais moradores para pedir que a Polícia Militar cesse as ações repressoras contra pessoas que não tenham envolvimento com o tráfico de drogas no bairro. “As agressões contra os moradores têm sido constantes. Os PM’s arrebentam as portas e batem até em mulheres na frente das crianças. Estamos apavorados com as abordagens e com a represália generalizada. Não querem saber quem é trabalhador ou não. Chutam as portas das casas e entram sem mandado”, desabafou Novaes. Ele salientou que se o 4º Batalhão da Polícia Militar não tomar alguma providencia, os moradores farão mobilizações maiores para alertar a sociedade sobre a situação da comunidade após a morte do soldado Alexandre.  

Andréia Martinez, 46 é mãe de Lucas Luiz Martinez de Almeida, 22, morto na última operação entre quinta e a madrugada de sexta (16), segundo ela, entre 1h30 e 2h. “Meu filho foi executado em casa, duas horas após o policial ser assassinado”, denuncia a auxiliar de limpeza. A moradora do Horácio conta que o rapaz recebeu vários disparos do peito à cabeça. “Disseram para a mulher dele ir pra rua e começaram atirar. Ela está grávida de oito meses”, detalhou a mãe.

O comandante do 4º Batalhão da Polícia Militar, tenente-coronel Marcelo Pontes afirmou que Lucas Luiz Martinez de Almeida atirou contra as guarnições da PM, que revidaram contra o suspeito, durante a operação no morro do Horácio. Pontes declarou ainda que as ações na comunidade permanecerão e serão feitas de acordo com a legalidade e por tempo indeterminado. “Nossa ações serão continuadas, com respeito e sem abusos”, assegurou.  O comandante também afirmou que o 4º Batalhão está aberto para dialogar com os moradores. 

Os moradores caminharam até a entrada da casa oficial do governador do Estado em protesto - Divulgação/ND
Os moradores caminharam até a entrada da casa oficial do governador do Estado em protesto – Divulgação/ND

+

Segurança