Mulher é esfaqueada na frente do filho e o cachorro de estimação acompanha o resgate, em Joinville

A mulher levou 13 facadas e ficou caída no meio da rua. O acusado de cometer o crime é o ex-companheiro dela

Sgt Valdemir,ronda 2 CIA do 8BPM/Divulgação/ND

Durante todo o resgate um cachorrinho da vizinhança estava presente, mostrando preocupação com a vítima

Sabe aquela história de que o cachorro é o melhor amigo do homem? Uma cena durante uma tentativa de homicídio em Joinville confirmou o dito popular. A preocupação de um cão ao ver uma mulher ser esfaqueada chamou a atenção dos policiais e socorristas envolvidos na ocorrência. As imagens registradas por uma testemunha pararam nas redes sociais. 

A vítima de violência doméstica é Sueli Padilha, 36. Ela foi esfaqueada e o acusado é o ex-companheiro na madrugada desta sexta (22). O crime aconteceu no cruzamento das ruas Vicente Celestino e Matos Costa no bairro Comasa, em Joinville. O filho de Sueli, de dois anos e oito meses, acompanhou chocado toda a cena.

A vítima levou 13 facadas e ficou caída no meio da rua. Semiconsciente, ela esperou o resgate dos bombeiros e Samu ao lado do filho e do cachorro Bob, que mora na vizinhança e é tratado por todos, inclusive ela e o filho. Quando os socorristas chegaram ao local, encontram a mulher de mãos dadas com a criança e o cachorro ao lado, impaciente e mostrando preocupação.

Segundo os policiais militares que atuaram na ocorrência, o cachorro chegou a subir na porta da ambulância para acompanhar o atendimento. Ela foi conduzida em estado grave ao Hospital Municipal São José. Na manhã de sexta, Sueli passou por cirurgias, afinal, as facadas atingiram alguns órgãos vitais. No começo da tarde, foi internada na UTI da unidade. O estado é considerado grave, mas estável.

A criança ficou sob os cuidados da Polícia Militar até a chegada de uma tia. O suspeito de cometer o crime conseguiu fugir. Equipes do IGP (Instituto Geral de Perícias) estiveram no local.

Um inquérito já foi instaurado pela Polícia Civil que investiga a tentativa de assassinato. Em 2015, cinco mulheres foram assassinadas em Joinville. Segundo informações da Delegacia de Proteção à Criança Adolescente e Idoso em 2015.

Violência doméstica é principal causas de BO na Delegacia da Mulher

A violência doméstica é a causa da maioria dos inquéritos policiais registrados pela Delegacia de Proteção à Criança, Adolescente, Mulher e Idoso, de Joinville. No anos passado foram feitos 4.879 boletins de ocorrências deste tipo. Destes, segundo da delegada Tânia Harada, 70% configura violência doméstica clássica, ameaça (1472 casos), injuria, lesão corporal (828 casos) e estupro (157 casos). Para a delegada não há dificuldade ou receio das mulheres que vivem a violência denunciar os casos à Polícia. “Observo sim uma falta de firmeza da mulher após este ato. Exemplifico com o seguinte: é feita a denúncia, tomam-se providências e em juízo elas voltam atrás”, aponta a delegada.

Participe do grupo e receba as principais notícias
da Grande Florianópolis na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.
+

Segurança

Loading...