“O que está ocorrendo com a Segurança Pública?”

Por onde se anda, nos restaurantes, bares e até em rodas de amigos, todo mundo questiona o mal estar entre a Deic e a cúpula da SSP

Luiz Mendes/Editoria de Arte ND

Briga de cachorro grande

O comentário e o questionamento que se ouve nas rodas de amigos, nos restaurantes, nos bares, no “Senadinho” (espaço democrático de Florianópolis), enfim, por onde se anda é a seguinte frase: “O que está acontecendo com a segurança pública?”. Um comerciante que teve o seu estabelecimento assaltado nove vezes está desacreditado na segurança e pensa em fechar o comércio e ir para o sítio. A exoneração do delegado   Claudio Monteiro, da Diretoria Estadual de Investigações Criminais, e a cúpula da SSP causaram um alvoroço e uma sensação muito grande de insegurança na comunidade. A população está intranquila assistindo esta crise que afetou um dos pilares mais fortes do governo, com a probabilidade de ocorrer mais exonerações. O governador tem que dar um basta nisso por que senão a vaca vai para o brejo.

SSP 

O secretário da Segurança Pública, César Augusto Grubba, recebeu no meio da semana a visita de técnicos da Secretaria Nacional de Segurança Pública que estão no Estado para aplicar pesquisa sobre índices de criminalidade, com destaque para os casos de homicídio doloso. Santa Catarina é referência nacional por possuir uma das mais baixas taxas de homicídio por grupo de 100 mil habitantes.

Namorador implacável

Ao saber que havia sido condenado à revelia por conta de uma prisão em flagrante referente a tráfico de drogas, Julian se transformou num cigano. A cada três meses ele muda de endereço. Porém, seu único erro foi ser agressivo para um “rabo de saia”. A mulher não o processou na Lei Maria da Penha, mas fez pior: chamou o agente Palma da DP de Palhoça que deu cana no “Casanova” – namorador implacável.

Ladrão contumaz

Um ladrão contumaz, que usa carro roubado para transportar objetos furtados, foi capturado por policiais do 7º BPM. Romário Dias, o Romarinho, estava com uma Parati furtada quando rodou no bairro Real Parque em São José. De acordo com o sargento Roberto Carlos Coelho, o istepô é suspeito de vários arrombamentos na região.

Estudante

Bastou um momento de distração do estudante Leonardo, na mesa de uma lanchonete na rua Trajano, Centro, para perder a carteira. Assim que ele se virou para conversar com uma garota de aula o objeto foi surrupiado por um jovem tatuado no pescoço, aparentando 17 anos. O estudante registrou ocorrência na 1ª DP da Capital, descreveu as características físicas do suspeito e disse que ele levava nas costas uma mochila de um cursinho pré-vestibular.

Deputado

O deputado e ex-diretor geral da Policia Civil do Estado, Maurício Eskudlark (PSD), criticou a forma administrativa como foi conduzido o processo de exoneração do delegado Claudio Monteiro, ex-diretor do DEIC. Para o deputado, apesar das questões internas ensejarem a mudança, faltou sensibilidade ao se tratar o problema de maneira pública, antecipando julgamentos e “atingindo a dignidade do profissional, do delegado, de  sua família e a sua relação com os comandados.”

Frase:

“Liguei para a SSP na presença de dois promotores e o coronel Fernando afirmou por telefone, no viva-voz, que a investigação era armação dos delegados para derrubar o secretário César Grubba”, Rodrigo Green, delegado da Deic.