Oito pessoas são presas suspeitas de assassinar a tiros jovem em Itapoá

Crime ocorreu no sábado, no bairro Pérolas do Atlântico; este é o décimo homicídio registrado na cidade em 2019

Oito pessoas foram presas suspeitas de assassinarem um jovem de 25 anos no sábado (23) em Itapoá, no Litoral Norte do Estado. Este é o décimo homicídio registrado este ano na cidade.

Suspeitos foram presos enquanto fugiam para o Paraná – Foto: 2ª Cia de Aviação da Polícia MilitarSuspeitos foram presos enquanto fugiam para o Paraná – Foto: 2ª Cia de Aviação da Polícia Militar

Segundo a Polícia Militar, o crime ocorreu por volta das 14h, no bairro Pérolas do Atlântico. A vítima, identificada como Charles Brendo Pinto, foi abordado por um grupo de seis pessoas em uma casa onde estava com a família.

Ele foi morto com disparos por arma de fogo. Após o crime, o grupo fugiu em dois carros em direção ao Paraná, pela SC-412. Eles foram abordados por uma viatura da PM de Garuva, em conjunto com o helicóptero Águia, meia hora após o crime, no km 606 da rodovia.

Com eles, a polícia apreendeu duas pistolas e um revólver que foram usadas na ação. Ao todo, seis homens e duas mulheres foram detidos e confessaram o crime. Eles foram presos e encaminhados à Delegacia de Itapoá, que vai investigar o caso nos próximos dias.

Ainda segundo a polícia, a vítima era morador de Pinhais, na região metropolitana de Curitiba e tinha envolvimento com o tráfico de drogas. O corpo de Charles foi levado no domingo (24) para Piraquara, no Paraná, onde será sepultado.

Polícia vai investigar o caso nos próximos dias – Foto: 2ª Cia de Aviação da Polícia MilitarPolícia vai investigar o caso nos próximos dias – Foto: 2ª Cia de Aviação da Polícia Militar

Número de homicídios dobrou em apenas 11 meses em Itapoá

Com a assassinato do último sábado, Itapoá registrou em apenas 11 meses um aumento de 100% no número de homicídios. Em 2019, dez pessoas já foram mortas na cidade, o dobro do ano passado inteiro, quando o total foi de cinco vítimas.

De acordo com a polícia, os assassinatos estão em sua maioria ligados ao tráfico de drogas.

“De alguma forma, todos os casos tem alguma ligação com o tráfico. Itapoá possui algumas regiões em que há concentração de venda de drogas, o que acaba gerando os homicídios”, explica o delegado Saul Bogoni Júnior.

Além disso, segundo o delegado, até novembro deste ano, a polícia ainda não havia prendido nenhum dos suspeitos dos nove homicídios, apesar de todas as investigações estarem em estágio avançado.

Perguntado sobre os autores, o delegado informou que não poderia repassar informações para não atrapalhar as buscas.

Leia também:

Participe do grupo e receba as principais notícias
de Joinville e região na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.
+

Segurança

Loading...