Operação confirma fraude na compra de respiradores em Santa Catarina

Nomeada O2 (oxigênio), operação foi deflagrada pela força-tarefa que reúne Polícia Civil, TCE-SC e o Ministério Público

A operação O2 (oxigênio), deflagrada na manhã deste sábado (9), confirmou fraude na compra dos 200 respiradores sem licitação em Santa Catarina.

Em entrevista coletiva, representantes do MPSC (Ministério Público), TCE ( Tribunal de Contas do Estado) e Polícia Civil explicaram como funcionou a investigação.

Operação O2 foi iniciada na manhã deste sábado (9). Foto: Divulgação/Polícia CivilOperação O2 foi iniciada na manhã deste sábado (9). Foto: Divulgação/Polícia Civil

“Está claro que houve um conluio para causar prejuízo ao erário público e que pessoas que deveriam cuidar do controle interno da operação não fizeram a sua parte”, destacou Adircélio Ferreira, presidente do TCE.

Leia também:

A ação sequestrou R$ 11 milhões de uma conta bancária de um dos envolvidos na compra irregular de 200 respiradores Estado. Para realizar a compra foram pagos R$ 33 milhões antecipadamente à empresa Veigamed.

Em entrevista coletiva, na sexta-feira (8), o secretário de Estado da Saúde,  André Motta Ribeiro, disse que os equipamentos podem ser entregues em três ou quatro dias.

Investigação em sigilo

A operação cumpriu 35 mandados de busca e apreensão e sequestro de bens em Santa Catarina, São Paulo, Rio de Janeiro e Mato Grosso. Diante do sigilo da investigação, não foi confirmado se houve mandados de prisão ou quem eram os alvos.

O delegado geral da Polícia Civil, Paulo Norberto Koerich, disse que, além dos R$ 11,3 milhões, foram apreendidos R$ 300 mil em espécie. Documentos e EPIs (Equipamentos de Proteção Individual) também foram recolhidos e serão destinados para a Secretaria de Estado da Saúde.

Acompanhe a entrevista coletiva:

+

Segurança

Loading...