Operação policial prende mais um suspeito de integrar facção criminosa em Joinville

Henrique Alexandre Guimarães é foragido da Penitenciária de Joinville, onde deveria estar cumprindo pena por tráfico de drogas e roubo

Suelen Soares/ND

Com a prisão de Henrique, já foram detidos oito suspeitos somente esta semana

Como a policia já havia anunciado em seus recentes pronunciamentos, mais prisões seriam feitas no decorrer da semana para combater a criminalidade em Joinville. Na tarde de quinta-feira (3), mais uma prisão foi divulgada, mas desta vez a de um membro do PGC (Primeiro Grupo Catarinense). Com a prisão, a operação conjunta entre as polícias Civil e Militar e o Gaeco ((Grupo de Atuação Especial no Combate ao Crime Organizado), já tirou de circulação esta semana oito adultos e dois menores suspeitos de envolvimento em facções criminosas.

Henrique Alexandre Guimarães, 31 anos, é suspeito de envolvimento em diversos crimes, inclusive nos homicídios que vêm ocorrendo desde o ano passado, na chamada “guerra das facções”. Henrique é foragido da Penitenciária de Joinville, onde deveria estar cumprindo pena por tráfico de drogas e roubo.

Ele havia sido contemplado com o chamado Saidão de Natal, quando o preso pode se ausentar da penitenciária por alguns dias no período natalino, mas não retornou à prisão.

O delegado da Policia Civil João Adolpho Fleury, explica que Henrique foi preso dentro do seu apartamento localizado no bairro Jardim Paraíso. O acusado estava com a família quando foi abordado pela polícia. 

No quarto, dentro de uma gaveta, os policiais encontram uma pistola Glock 9mm e um carregador prolongado de uso exclusivo das Forças Armadas e da Segurança Pública. “Uma apreensão destas revela o poder de fogo que eles possuem. A arma estava carregada pronta para ser usada”, comenta o delegado.

O delegado também explica que, além das acusações já citadas, Henrique irá responder também pelo porte ilegal de arma de fogo de uso restrito. E ressalta que muitas prisões que estão sendo efetuadas não são divulgadas, para não atrapalhar as investigações.

 “Na visão das investigações tem sido um duro golpe para as facções, pois nós estamos prendendo os seus principais líderes”, conclui Fleury.

Participe do grupo e receba as principais notícias
de Joinville e região na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.
+

Segurança

Loading...