Pais querem internar filhos dependentes químicos, mas esbarram na legislação

Clínicas terapêuticas não aceitam adolescentes usuários de drogas sem a permissão da Justiça, dificultando o acolhimento da família

Depoimento triste
É impressionante o aumento de jovens iniciando no mundo das drogas. Da maconha  é um pulo para cocaína e dali para o crack. Tenho recebido telefonemas desesperadores de pais que tentam internar filhos adolescentes, mas não conseguem por falta de autorização judicial. São muitos os casos que chegam ao meu conhecimento. O último foi degradante e confesso que chorei junto com o pai que relatava que o filho roubava em casa para sustentar o vício do crack. Diante deste fato questiono? O que os pais devem fazer quando descobrem o envolvimento dos filhos adolescentes com drogas? As clínicas não os aceitam  sem autorização judicial e orientam o pai a registrar um boletim de ocorrência para iniciar um processo de investigação. Se for por este viés e dependendo do caso, o garoto em conflito que mora na região de Florianópolis, pode estar sujeito a cumprir medidas socioeducativa longe da família porque o São Lucas, que funcionava em São José,  foi implodido pelo governo.

Pedreiro
O pedreiro Antônio Carlos passou na 1ª DP de São José para registrar queixa de arrombamento na casa da filha Rita Maria, que mora no Loteamento Santa Felicidade, na rua Julieta da Silva Melo. Ele disse que ladrões estourara a porta dos fundos da casa com pé de cabra e levaram  a única televisão de 42 polegadas, algumas joias (brincos, cordão de ouro e pulseira) calçados e roupas. Antônio Carlos pediu para o investigador Ricardo Sagaz dar uma olhada com atenção na ocorrência.

Furto
É impressionante o número de arrombamentos em veículos no município de São José. Ontem à noite, ladrões abriram o automóvel da auxiliar administrativo Mayara Martins, na rua Independência, próximo ao Centro Educacional. Ela passou na 3ª DP do Kobrasol e disse que o ladrão usou uma  uma mixa para levar o CD automotivo. 

Barbearia
Enquanto fazia cabelo, barba e bigode de um cliente, o barbeiro Inácio Alvim nem percebeu que um magricela,  sentado no canto da barbearia,  surrupiou o celular e a carteira de dinheiro contendo R$ 200,00 e todos os documentos pessoais, do bolso de trás. Orli só constatou o furto quando foi dar o troco para um aposentado. O barbeiro  desconfiou do magricela porque o rapaz vazou. Ele deu queixa na 2ª DP de São José. 

Furto caseiro
A dona de casa Lucelaine quer saber quem foi o engraçadinho que entrou, sorrateiramente, em sua casa e levou o notebook da filha. Ela mora na rua Major Costa, Centro de Florianópolis e ressaltou na 1ª DP da Capital que não havia sinal de arrombamento. Acrescentou que todas as janelas e portas estavam fechadas, com exceção de uma porta para o segundo andar onde moram várias pessoas. 

Porteiro
O porteiro de um dormitório que funciona na rua Conselheiro Mafra foi assaltado na recepção do estabelecimento comercial por dois homens tatuados  nos braços. O empregado reclamou para o dono, Antenor de Oliveira, que recebeu um golpe mata leão de um suspeito enquanto o outro pegou R$ 260 da gaveta. A ocorrência foi registrada na 1ª DP da Capital pelo dono do hotel.

Frase:
“O primeiro morava em Biguaçu, mas tinha ligação com o Morro da Caixa. O outro tinha ligação com traficantes da favela Chico Mendes”, delegado Ênio de Oliveira Matos, sobre os assassinatos de Jonas Fonseca do Rosário e de um adolescente.