Altair Magagnin

altair.magagnin@ndmais.com.br Não é só sobre política. É sobre o impacto das decisões públicas na tua vida. Jornalista profissional com experiência multimídia, acompanha os bastidores do poder e traz análises e notícias exclusivas. Siga @altamagagnin nas redes.


Pivô na troca de chefe da Polícia Civil, delegado que investigava corrupção perde cargo

Quinze dias depois da posse do delegado-geral Marcos Ghizoni no lugar de Akira Sato, Rodrigo Raiser Schneider deixa de chefiar Coordenadoria Estadual de Combate à Corrupção de Santa Catarina

A suposta coação para tirar o delegado Rodrigo Raiser Schneider do cargo de chefe da Cecor (Coordenadoria Estadual de Combate à Corrupção) foi apontada como o real motivo para o pedido de demissão de Akira Sato do posto de delegado-geral da Polícia Civil, 15 dias depois de assumir o cargo. Oficialmente, a saída foi justificada por questões pessoais de saúde.

Passados 15 dias da posse do novo delegado-geral, Marcos Ghizoni Junior, Schneider está fora do cargo. Esse é mais um capítulo de uma complexa história, que passou por decisões sem alarde e silêncio por parte dos envolvidos.

Rodrigo Raiser Schneider – Foto: Reprodução/NDRodrigo Raiser Schneider – Foto: Reprodução/ND

A informação está publicada na edição desta quinta-feira (21) do BID (Boletim Interno Digital da Polícia Civil do Estado de Santa Catarina). No ato, assinado terça-feira (19), Ghizoni nomeia Schneider para o cargo de coordenador do Laboratório de Tecnologia contra Lavagem de Dinheiro.

Rodrigo Raiser Schneider é nomeado em novo cargo – Foto: Reprodução/NDRodrigo Raiser Schneider é nomeado em novo cargo – Foto: Reprodução/ND

Na prática, Schneider deixa de chefiar investigações, como a que apura supostas irregularidades na licitação que contratou uma empresa para mensurar resultados do porto de São Francisco do Sul, no Norte catarinense. Tanto a empresa quanto o governo do Estado negam irregularidades.

Além deste caso, Rodrigo Raiser Schneider também chefiou trabalhos policiais como os que culminaram na Operação Oxigênio, que prendeu Douglas Borba, o então secretário de Estado da Casa Civil, nas investigações sobre os respiradores pulmonares fantasmas.

Volta dos delegados afastados

A decisão contrapõe uma declaração pública do próprio Ghizoni, que disse que chamaria de volta os delegados afastados dos cargos. Jeferson Prado Costa efetivamente retornou à titularidade da Delegacia de Investigação à Lavagem de Dinheiro da Deic (Diretoria Estadual de Investigações Criminais).

Entrevista do delegado Marcos Ghizoni – Vídeo: NDTV/Reprodução

Também convidada, a delegada Beatriz Ribas, declinou o retorno à titularidade da Delegacia de Repressão a Crimes Ambientais da Deic e foi transferida para a Delegacia de Polícia da Comarca de Balneário Camboriú.

Laurito Akira Sato em foto oficial de divulgação ao assumir o cargo de delegado-geral da Polícia Civil de Santa Catarina – Foto: Cristiano Estrela/Divulgação/NDLaurito Akira Sato em foto oficial de divulgação ao assumir o cargo de delegado-geral da Polícia Civil de Santa Catarina – Foto: Cristiano Estrela/Divulgação/ND

Participe do grupo e receba as principais notícias
da Grande Florianópolis na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.
Loading...