Polícia vai investigar morte de bebê encontrada com hematomas em Chapecó

Policiais tentaram reanimar a criança, encontrada com suspeita de fratura na cabeça, após serem chamados para ocorrência de afogamento

A Polícia Civil de Chapecó, no Oeste de Santa Catarina, vai investigar a morte de uma bebê de um mês que ocorreu na tarde desta terça-feira (23). Os policiais foram chamados para atender uma bebê que estaria engasgada e sem sinais de vida. No local, a recém-nascida foi encontrada já sem sinais vitais, com hematomas na face e suspeita de fratura na cabeça.

Morte de bebê de um mês será investigada pela Polícia Civil – Foto: Polícia Militar/Divulgação/NDMorte de bebê de um mês será investigada pela Polícia Civil – Foto: Polícia Militar/Divulgação/ND

O caso aconteceu no bairro Efapi. A Polícia Militar foi chamada pelo Samu, por volta das 15h30. Os agentes encontraram a criança deitada em um bebê-conforto, pálida, com muitas roupas e uma touca na cabeça.

Leia também:

Os policiais desobstruíram as vias aéreas da criança e notaram que havia uma grande quantidade de leite no interior da via aérea. Eles também tentaram realizar manobras de reanimação, sem sucesso. A morte da bebê foi confirmada com a chegada da equipe do Samu.

Perícia e depoimentos

Diante da morte, a Polícia Civil e o IGP (Instituto Geral de Perícias) estiveram no local e realizaram a perícia na cena da ocorrência. O corpo da bebê foi removido para passar pelos exames.

A mãe e uma amiga dela, que também estava presente, foram encaminhadas à delegacia de Polícia Civil para prestar depoimento.

Aos policiais militares, a mãe disse que, após dar de mamar para a filha, ela levou a bebê até a casa da amiga, onde a criança foi colocada no bebê-conforto. Enquanto isso, a mãe teria ido buscar um outro filho de dois anos.

Após cerca de 30 minutos, a mãe relatou ter ouvido a amiga gritar e correu até onde a bebê estava. Ela então percebeu que a filha não estava respirando.

A amiga disse aos policiais militares que estava na casa de sua mãe no momento em que a mãe e a bebê chegaram. A criança ficou aos seus cuidados e, em certo momento, ela teria ido verificar a criança e percebido que ela estava pálida e sem respirar. A amiga então acionou o Samu e teria corrido para chamar a mãe da bebê.

Investigação

De acordo com o delegado Vagner Papini, da DIC (Divisão de Investigação Criminal) de Chapecó, o caso está ganhando “clamor social”.

“É preciso ainda ouvir pessoas e ter mais elementos para que possamos nos manifestar. No início da tarde desta quarta-feira [24] iremos iniciar as investigações e as oitivas para verificar efetivamente o que ocorreu com essa criança”, disse.

0 Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

+ Segurança