Agricultor viu carro em plantação antes de assalto em Criciúma

Maurício Varmelin conta que três dias atrás observou que um veículo estava na região “monitorando” local onde carros foram abandonados

Na noite de sábado (28), a pacata Nova Veneza, no Sul de Santa Catarina, sequer imaginava que, três dias depois, veria seus moradores nos portais, jornais e televisões do país. A “mídia” surpresa aconteceu depois que 10 carros de luxo foram abandonados em uma plantação após o maior assalto da história do Estado.

Carros utilizados no crime foram encontrados abandonados em uma plantação em Nova Veneza – Foto: Anderson Coelho/NDCarros utilizados no crime foram encontrados abandonados em uma plantação em Nova Veneza – Foto: Anderson Coelho/ND

Depois de aterrorizar o Centro de Criciúma e roubar uma quantia de aproximadamente R$ 80 milhões, os criminosos saíram em comboio em direção à cidade vizinha e abandonaram os veículos em uma plantação de milho na propriedade de Maurício Varmelin.

O idoso de 74 anos viu a plantação ser “invadida” primeiro por criminosos, depois, pela polícia, que trabalhou por horas na retirada dos veículos escondidos no meio da plantação.

Mas, antes mesmo dessa movimentação toda, o agricultor conta que viu, na noite de sábado, uma atitude bastante suspeita e que, agora, começa a fazer sentido.

“Eu estava olhando o caminhão de energia, que estava arrumando uma rede em casa e, nisso, veio um carro, chegou e entrou ali perto. O carro ficou uns 10 minutos observando e foi embora”, lembra.

Ele conta que a “observação” aconteceu por volta das 22h. Para ele, o local estava sendo monitorado para a ação que eclodiu na madrugada desta terça-feira (1º).

Logo nas primeiras horas da manhã, o filho do aposentado saía de casa para o trabalho, quando percebeu a plantação amassada. “Ele viu o mato amassado, entrou lá e encontrou os 10 carros”, diz.

Maurício Varmelin viu carro em plantação três dias antes do assalto – Foto: Anderson Silva/NDMaurício Varmelin viu carro em plantação três dias antes do assalto – Foto: Anderson Silva/ND

Primo do agricultor, Luiz Carlos Varmelin conta que acredita na premeditação de meses para o crime.

“Tudo parece ter sido muito rápido e, pelas marcas, após deixar os carros, os criminosos entraram no caminhão e seguiram sentido Sul. Para nós, aqui, foi uma surpresa, porque foi tudo bem preparado. Isso foi coisa planejada de meses”, fala.

A ação dos criminosos aconteceu logo após a meia-noite. O Centro de Criciúma, que fica a aproximadamente 20 km de Nova Veneza, foi completamente tomado pelos assaltantes que dispararam, fizeram reféns e deixaram dinheiro para trás antes de seguir para a cidade vizinha. Após abandonar os carros utilizados na ação, eles fugiram utilizando um caminhão.

As forças de segurança de Santa Catarina estão em Criciúma e, em conjunto com policiais e forças de segurança de outros estados, buscam monitorar e identificar os criminosos.

+

Polícia