Amanda Albach é sepultada e família está ‘tentando se recuperar’, diz advogado

Garota de 21 anos foi obrigada a cavar a própria cova e morta com 2 tiros em Laguna, em Santa Catarina. Jovem havia desaparecido em 15 de novembro

O corpo da jovem de 21 anos Amanda Albach foi sepultado por volta de 11h30 da manhã deste domingo (5), no Cemitério Municipal de Fazenda Rio Grande, região metropolitana de Curitiba, no Paraná.

Após ficar 18 dias desaparecida, corpo da jovem é encontrado e levado ao sepultamento no Cemitério Municipal de Fazenda Rio Grande, no Paraná – Foto: Canal O Repórter / Divulgação NDApós ficar 18 dias desaparecida, corpo da jovem é encontrado e levado ao sepultamento no Cemitério Municipal de Fazenda Rio Grande, no Paraná – Foto: Canal O Repórter / Divulgação ND

A informação foi confirmada pelo advogado da família da vítima, Michael Pinheiro, “Por ora não. Estão tentando se recuperar”, afirmou o representante legal da família da vítima, que prefere não se pronunciar no momento.

Relembre o caso

A jovem trabalhava como promotora de vendas em Santa Catarina e desapareceu no dia 15 de novembro, após passar o fim de semana daquele feriadão da Proclamação da República em Imbituba, no sul do Estado.

Amanda foi obrigada a cavar a própria cova, diz suspeito de envolvimento no caso – Foto: Internet/Divulgação/NDAmanda foi obrigada a cavar a própria cova, diz suspeito de envolvimento no caso – Foto: Internet/Divulgação/ND

Com o avanço das investigações a polícia efetuou a prisão do grupo que estava com vítima no fim de semana do desaparecimento. O trio foi preso em Canoas, no Rio Grande do Sul.

Um dos suspeitos é uma mulher que seria amiga da garota, que inclusive, teria morado na mesma cidade de Amanda no Paraná.

“Esse é o vínculo que, ao menos em tese, ligou a vinda da Amanda até a residência dos suspeitos em Itapirubá”, explicam os delegados.

Obrigada a cavar a própria cova

Conforme a polícia um dos suspeitos do crime de assassinato de Amanda, se sentiu incomodado ao saber que a vítima teria contado para terceiros sobre o possível envolvimento do investigado com o tráfico de drogas.

Ele levou a garota até a região das dunas da Praia de Itapirubá Norte, divida entre Laguna e Imbituba, e obrigou a garota a cavar o buraco da própria cova. O crime ocorreu por volta das 22h do dia 15 de novembro.

Suspeito quem orientou a polícia sobre o local exato de onde Amanda foi morta e enterrada  – Foto: Christian Ayala / Divulgação NDSuspeito quem orientou a polícia sobre o local exato de onde Amanda foi morta e enterrada  – Foto: Christian Ayala / Divulgação ND

“Ele [suspeito] coagiu Amanda a caminhar com uma pá e depois a obrigou a cavar uma cova na praia de Itapirubá, entre Imbituba e Laguna. O homem então efetuou dois disparos de arma de fogo, depois tapou o buraco e saiu. As outras duas pessoas que estão presas não presenciaram a cena”, relataram os investigadores.

+

Polícia

Loading...