‘Amava a filha e falava com a mãe todos os dias’, diz advogado sobre Amanda Albach

Jovem de 21 anos foi encontrada morta na praia do Sol, em Laguna; motivação do crime ainda é um mistério

“Uma moça cheia de vida, trabalhadora, responsável, que amava a filha e falava com a mãe todos os dias”. Dessa forma o advogado da família de Amanda Albach, Michael Pinheiro, definiu o comportamento da jovem, encontrada morta na praia do Sol, em Laguna, no Sul de Santa Catarina, no início da tarde desta sexta-feira (3).

Corpo de Amanda foi encontrado na praia do Sol, em Laguna – Foto: Arquivo Pessoal/Reprodução/NDCorpo de Amanda foi encontrado na praia do Sol, em Laguna – Foto: Arquivo Pessoal/Reprodução/ND

O corpo da jovem foi encontrado enterrado no local. A causa da morte e a motivação do crime ainda não foram revelados. A Polícia Civil dará mais detalhes sobre a investigação em coletiva durante a tarde desta sexta-feira.

Três pessoas, suspeitas pelo desaparecimento de Amanda, foram presas na cidade de Canoas, no Rio Grande do Sul, na tarde de quinta-feira (2). As três foram encaminhadas para a cidade de Laguna.

Relacionamento com a família

Segundo relatou o advogado da família ao ND+, a jovem trabalhava em Santa Catarina como promotora de vendas. Ela ficava no Estado de três a cinco dias e retornava para a cidade onde morava, em Fazenda Rio Grande, no Paraná.

“Ela [Amanda] tinha uma filha de dois anos, então fazia contato diário com a mãe para saber como as duas estavam”, conta Pinheiro.

“No dia 12 de novembro ela [Amanda] chegou em Fazenda Rio Grande, para encontrar com a mãe. A mãe dela falou: ‘nossa, você já está toda arrumada, toda bonita’. Ela então contou à mãe que estava indo para Imbituba com alguns amigos e retornava após o feriado do dia 15“, relata o advogado.

Após a conversa com a mãe, Amanda foi a uma festa em Jurerê Internacional, no Norte da Ilha de Santa Catarina e, segundo Pinheiro, não teria falado com a mãe no dia seguinte.

“Na segunda-feira, dia 15 de novembro, por volta das 20h30, chegou uma mensagem, supostamente da Amanda, falando: ‘olha, estou pegando um Uber, chego de madrugada em casa”, explica o advogado. A partir disso, a jovem não deu mais notícia.

Falta de notícias faz mãe procurar a polícia

Amanda seguiu sem dar notícias nos dois dias seguintes. A mãe, desconfiada de que o último áudio que recebeu não era da filha, foi à delegacia para registrar um Boletim de Ocorrência. Porém, as informações, naquele momento, não eram claras.

A mãe da jovem procurou os advogados na sexta-feira, dia 19 de novembro. No mesmo dia, Pinheiro conta que foi feito contato com as delegacias de Florianópolis e Imbituba. Além disso, foi realizada a reformulação do B.O na delegacia de Fazenda Rio Grande.

Corpo de Amanda Albach foi localizado na praia do Sol nesta sexta-feira – Foto: Divulgação/NDCorpo de Amanda Albach foi localizado na praia do Sol nesta sexta-feira – Foto: Divulgação/ND

“Hoje quando cheguei em Laguna fui surpreendido pela notícia que o corpo havia sido encontrado na praia do Sol”, relata Pinheiro. “Segundo as informações que chegaram, um dos acusados foi quem conduziu a equipe policial até onde estava enterrado o corpo”, completa.

Causas do crime

“A amanda veio para ficar na casa da amiga, era só pra passar um feriado. Para ela era normal, uma moça jovem, 21 anos. Deixou a filha lá e falou: ‘mãe, vou passear'”, lamenta Pinheiro.

A família da vítima ainda aguarda o término dos relatórios policiais e um parecer do IML (Instituto Médico Legal) para entendar quais as causas da morte. Pinheiro afirmou que vai ao IML ainda nesta sexta-feira para questionar quando o corpo de Amanda será liberado.

+

Polícia

Loading...