Após oito anos, julgamento de incêndio na Boate Kiss é marcado

Júri deve ocorrer em dezembro deste ano; tragédia matou 242 pessoas e deixou outros 636 feridos em janeiro de 2013, em Santa Maria (RS)

Considerada uma das maiores tragédias com incêndio do Brasil, o caso da Boate Kiss ganha um novo capítulo. Após oito anos, o júri foi marcado para às 9h do dia 1º de dezembro de 2021, em Porto Alegre (RS). Respondem pelo incêndio, Elissandro Callegaro Spohr, Mauro Londero Hoffmann, Marcelo de Jesus dos Santos e Luciano Bonilha Leão.

Santa Maria (RS) – Um ano do incêncio na Boate Kiss durante show na madrugada do dia 27 de janeiro de 2013. Entrada da boate (Wilson Dias/Agência Brasil/Arquivo) – Foto: Wilson Dias/Agência Brasil/Arquivo/NDSanta Maria (RS) – Um ano do incêncio na Boate Kiss durante show na madrugada do dia 27 de janeiro de 2013. Entrada da boate (Wilson Dias/Agência Brasil/Arquivo) – Foto: Wilson Dias/Agência Brasil/Arquivo/ND

A data do julgamento foi agendada pelo novo titular do 2º Juizado da 1ª Vara do Júri do Foro Central de Porto Alegre, Juiz de Direito Orlando Faccini Neto. As informações são do portal do Correio do Povo.

O incêndio ocorreu no dia 27 de janeiro de 2013, no município de Santa Maria, e deixou 242 mortos e 636 feridos. O julgamento foi transferido para a Comarca de Porto Alegre por decisão da 1ª Câmara Criminal do TJ/RS (Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul).

Os empresários e sócios da boate Elisandro e Mauro e os músicos da banda Gurizada Fandangueira, que fazia apresentação na noite do incêndio, Marcelo e Luciano, respondem por homicídio simples, 242 vezes consumado, pelo número de mortos; e 636 vezes tentado, pelo número de feridos.

+

Polícia