Após pedido errado de lanche, condomínio de Florianópolis vive clima de tensão; entenda

Entrada de entregadores de aplicativo está proibida no local após tumulto por pedido chegar errado no último sábado (20)

O clima de tensão segue no condomínio que foi cenário de agressões e manifestações, no último sábado (20), por causa de um pedido de lanche que chegou errado no bairro Trindade, em Florianópolis. Nesta segunda-feira (22), a entrada de motoboys no local está proibida.

manifestação de entregadores de pedido por aplicativoManifestação de entregadores de aplicativo em frente ao condomínio no último domingo (21) – Foto: Osvaldo Sagaz/ND

Conforme a portaria do condomínio, a orientação do síndico é que “os moradores venham até a portaria do condomínio para receber os pedidos para evitar transtornos aos demais moradores. Proibindo, por enquanto, o acesso de motoboys no interior do condomínio”, afirmou um porteiro via WhatsApp.

A confusão causada pela entrega do lanche errado gerou agressões entre o namorado da cliente e o motoboy, além de manifestações de entregadores em frente ao condomínio durante o fim de semana.

“O negócio está pesado”, afirmou uma moradora, que prefere não se identificar. Ela conta que os vizinhos consideraram “um absurdo” a atitude dos moradores.

“Tem um relato de alguém do condomínio dizendo que  [motoboys] passaram outra vez lá, e tinham dito o nome da mulher, número da placa do carro, número do apartamento, dizendo que estava devendo 45 reais, que pediram x-bacon sem bacon. E que às 8h da manhã [de sábado] alguém tinha passado gritando que ia matar o namorado dela”, contou.

Outra moradora, que também não quis se identificar, afirmou que “sempre passa um motoboy buzinando e gritando ‘caloteira'”.

Consequências no condomínio

Alguns moradores ficaram tão incomodados que pediram que os dois envolvidos no caso sejam multados. “Tem gente pedindo que o condomínio multe esses moradores, que eles sejam punidos”, ressaltou uma moradora. 

Por outro lado, ela relata que a opinião é controversa. “Mas tem gente dizendo que não cabe ao condomínio multar.” As pessoas reclamaram das manifestações, que ocorreram às 9h da manhã de sábado, e às 17h de domingo (21).

“Foi um estresse, muita gente que não tem nada a ver com a história teve que passar [pela manifestação], sendo que os dois moradores moram mais para trás, então, possivelmente nem ouviram”, afirma a moradora.

O assunto será colocado como pauta na próxima assembleia do condomínio para decidir se os moradores serão punidos com multa, além de avaliar a entrada dos motoboys no espaço.

A reportagem do ND+ entrou em contato com a moradora e o com o Ifood no fim da manhã desta segunda-feira (22), mas ambos não se manifestaram até o fechamento desta reportagem. O entregador no centro da confusão disse que está em contato com o seu advogado e que, assim que receber uma orientação, retornará.

Entenda o caso

Na madrugada de sábado, por volta de 4h30, o entregador de um aplicativo de comida afirmou que recebeu a notificação de banimento da plataforma por conta da reclamação de uma cliente.

A moradora do condomínio teria informado que seu pedido, um cachorro quente sem bacon, chegou errado. A mulher alega que não cancelou o pedido após a entrega, pediu o estorno de parte do pedido. No entanto, o entregador afirma o contrário.

Em vídeo, o homem diz que a moça cancelou o pedido mesmo após a entrega. Ele teria ficado sem receber a porcentagem do lanche e voltou até o local para resolver a situação e, em uma conversa sem sucesso, teria sido agredido pelo namorado dela.

Segundo o comandante do 4º BPMSC, tenente-coronel Dhiogo Cidral de Lima, a PM (Polícia Militar) foi chamada para atender o caso por volta de 6h de sábado (20) e os boletins de ocorrência foram lavrados no local. “Foi um desacordo comercial e vias de fato, cada um com a sua narrativa”, diz. A PM não flagrou a agressão e o caso foi encaminhado à Polícia Civil.

Acesse e receba notícias da Grande Florianópolis pelo WhatsApp do ND+

Entre no grupo
+

Polícia