Após pedir desculpas, médico brasileiro é solto no Egito e volta ao Brasil

Victor Sorrentino ficou uma semana preso no país africano, após ser acusado de praticar assédio sexual contra uma vendedora

O médico brasileiro Victor Sorrentino comunicou neste domingo (6) em uma rede social que voltou ao Brasil após passar uma semana preso no Egito.

Sorrentino foi acusado de ter praticado assédio sexual contra uma vendedora de papiros em Gizé, próximo à capital do país, Cairo.

Médico Victor Sorrentino foi liberado pelas autoridades egípcias após acusação de assédio sexual – Foto: Reprodução/ InstagramMédico Victor Sorrentino foi liberado pelas autoridades egípcias após acusação de assédio sexual – Foto: Reprodução/ Instagram

Em uma nota, ele agradeceu o apoio e disse que voltou “após encerrar os esclarecimentos solicitados e ser liberado pelas autoridades egípcias” e que irá “priorizar a atenção e apoio à minha família”, antes de retomar suas atividades nas redes sociais.

O perfil do médico segue fechado, mas a mensagem foi reproduzida por um perfil criado para apoiá-lo. (veja abaixo)

Sorrentino foi libertado após gravar um pedido de desculpas no sábado, ao lado da vendedora. Em português, ele pede perdão “por ter errado em gravar um vídeo sem autorização” e “por ter falado palavras feias”.

Em árabe, a vendedora responde: “Como represento as mulheres egípcias e o povo egípcio, e somos um povo hospitaleiro e carinhoso que recebemos todos os visitantes de todas as partes do mundo, é suficiente para mim que ele peça desculpas, vou aceitar suas desculpas.”

+

Polícia