Arma de R$ 5 mil, bullying e frieza: o que se sabe sobre o atentado em creche de SC

Jovem de 18 anos que cometeu a chacina em Saudades, no Oeste, é considerado um "rapaz problemático"; ao ser socorrido, questionou "matei cinco, né?"

A motivação para o crime de Fabiano Kipper Mai, que matou três bebês e duas mulheres na creche Pró-Infância Aquarela, em Saudades, no Oeste catarinense, ainda segue sem uma resposta. No entanto, algumas informações sobre o seu comportamento podem indicar uma explicação.

Ataque à Creche em Saudades, no Oeste de SC – Foto: Willian Ricardo/NDAtaque à Creche em Saudades, no Oeste de SC – Foto: Willian Ricardo/ND

O jovem de 18 anos usou a arma Katana, uma espada milenar de origem japonesa avaliada em mais de R$ 5 mil, para realizar a chacina. A arma, que é rara de ser encontrada no Brasil, costuma ser utilizada como decoração por colecionadores.

Em coletiva realizada na terça-feira à tarde, o delegado responsável pelo caso, Jerônimo Marçal Ferreira, disse que o autor é um “rapaz problemático”. Pessoas próximas ao rapaz afirmaram à polícia que ele sofria bullying na escola, era muito introspectivo e não tinha amigos.

“É um perfil que hoje já é comum na sociedade. Um jovem que se tranca no quarto e ninguém sabe o que estava fazendo no computador. Gostava de jogos on-line, alguns violentos”, explicou Ferreira.

O delegado afirma que o jovem tinha alguns problemas em casa, inclusive por causa do bullying. “Segundo familiares, ele não queria ir mais para a escola.”

Fabiano ainda estava no ensino médio e trabalhava em uma empresa do município. Segundo a polícia, ele  estava com R$ 11 mil em espécie guardados em casa. Segundo os familiares relataram, eram economias do jovem. Como não costumava sair de casa, estava guardando o dinheiro.

Como o crime aconteceu

O agressor chegou de bicicleta na escola por volta das 10h. Ao entrar no local, atacou a primeira vítima, a professora Keli Adriane Aniecevski, de 30 anos. Mesmo ferida, ela correu para a sala onde estavam quatro crianças, além da agente educativa Mirla Amanda Renner Costa, de 20 anos.

Fabiano Kipper Mai, de 18 anos, invadiu a creche e matou cinco pessoas. – Foto: ReproduçãoFabiano Kipper Mai, de 18 anos, invadiu a creche e matou cinco pessoas. – Foto: Reprodução

A professora e duas crianças morreram ainda na sala de aula. Já Mirla e uma das crianças foram socorridas, mas não resistiram aos ferimentos e morreram no hospital. Uma quarta criança, um menino de 1 ano e 8 meses, também foi socorrido. Ele foi transferido ao HRO (Hospital Regional do Oeste), em Chapecó.

O menino passou por uma cirurgia na região do pulmão e segue estável, em recuperação. Ele saiu da UTI e foi transferido para o Hospital da Criança, onde está em leito clínico. A informação foi repassada pela assessoria do HRO no fim da tarde desta quarta-feira (5).

De acordo com as equipes de socorro, o jovem disse “matei cinco, né?”,  enquanto ainda estava na ambulância. Após cometer a chacina, Fabiano tentou suicídio. Ele foi atendido e transferido em estado grave para o HRO.

As crianças mortas foram Sarah Luiza Mahle Sehn, 1 ano e 7 meses, Anna Bela Fernandes de Barros, 1 ano e 8 meses, e Murilo Massing, 1 ano e 9 meses. A identidade foi confirmada pelo IGP (Instituto Geral de Perícias).

Motivação é investigada

Nesta quarta-feira (5) e pelos próximos dias, a Polícia Civil seguirá realizando os trabalhos no inquérito policial instaurado para apurar a motivação dos crimes. Testemunhas estão sendo ouvidas.

Pais e familiares ficaram muito emocionados ao enterrarem as vítimas do ataque em creche no município de Saudades – Foto: Willian Ricardo/NDPais e familiares ficaram muito emocionados ao enterrarem as vítimas do ataque em creche no município de Saudades – Foto: Willian Ricardo/ND

O delegado pretende realizar o interrogatório do autor nos próximos dias e aguarda também autorização judicial para acessar equipamentos eletrônicos apreendidos com o preso.

O Ministério Público de Santa Catarina recebeu na madrugada de quarta (5) o ato de prisão em flagrante contra o autor do ataque e pediu sua prisão preventiva. Ao longo do dia, o juiz da Comarca de Pinhalzinho, Caio Lemgruber Taborda, converteu a prisão em flagrante.

O jovem está sedado e internado na UTI do HRO (Hospital Regional do Oeste), em Chapecó, onde passou por cirurgia e segue em recuperação pós operatória.

“Quero ver o que ele vai contar para juntarmos as peças de investigação com a versão dele para tentar entender a motivação desse crime”, informou o delegado.

A expectativa do delegado é conseguir interrogar o rapaz de 18 anos para ter mais informações fundamentais para a investigação. As informações preliminares traçam um perfil de um jovem com problemas, mas sem levantar qualquer tipo de suspeitas, informou Marçal.

Participe do grupo e receba as principais notícias
de Chapecó e região na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.
+

Polícia