Assassino de Araquari tentou cortar corpo de vítima ao meio antes de enterrá-la

O corpo de Cleide Gonçalves de Oliveira, de 31 anos, foi encontrado na quinta-feira (24) enterrado nos fundos da casa onde o suspeito mora

Os detalhes da morte de Cleide Gonçalves de Oliveira, de 31 anos, tornam o assassinato ainda mais brutal. Desaparecida desde sábado (19), ela foi encontrada enterrada atrás de uma casa na tarde de quinta-feira (24), no bairro Porto Grande, em Araquari, no Norte de Santa Catarina. O suspeito, de cerca de 30 anos, se entregou e confessou o crime à polícia.

Cleide Gonçalves de Oliveira foi encontrada enterrada nos fundos de uma casa – Foto: Arquivo Pessoal/Divulgação

Nesta sexta-feira, detalhes do caso foram divulgados e, embora a versão de suspeito seja de que ela foi acidentalmente atropelada após uma briga, perícias, testemunhas e a contradição do depoimento do próprio suspeito fizeram a polícia chegar a outra versão.

Durante a tarde desta sexta-feira, uma reconstituição foi realizada e, de acordo com a polícia, depois de passar o dia pagando bebidas para Cleide e outras mulheres no sábado, o suspeito saiu com a vítima e teria exigido sexo em troca das bebidas. 

Os dois saíram do bar onde estavam e onde ela foi vista pela última vez e o homem a levou até um local ermo, onde após recusar as investidas, Cleide lutou com o suspeito e foi morta. Segundo a investigação, ela sofreu diversas lesões na cabeça e foi atingida com instrumento perfuro cortante.

Vítima foi encontrada enterrada nos fundos da casa do suspeito, no bairro Porto Grande – Foto: Juan Todescatt/NDTV

Cleide foi encontrada nua e com um corte na barriga. O suspeito confessou à polícia que tentou cortá-la ao meio. O objetivo era conseguir enterrá-la na cova que fez atrás da própria casa. 

Preso desde quinta-feira, quando se entregou, ele foi encaminhado à UPA (Unidade Prisional Avançada) de São Francisco do Sul.

+

Polícia