Grávida de Canelinha: bebê recebe alta de hospital

A criança estava internada há 10 dias no Hospital Infantil Joana de Gusmão, em Florianópolis

A bebê da jovem grávida de Canelinha, assassinada em 27 de agosto, recebeu alta do Hospital Infantil Joana de Gusmão, em Florianópolis. A recém-nascida estava internada há 10 dias, devido a cortes que sofreu nas costas após o parto forçado cometido pela acusada do crime. A criança passa bem e, desde domingo (6), está sob os cuidados do pai.

Bebê de grávida de Canelinha recebe alta do hospital e está com o pai – Foto: Daniel Queiroz/ND

A investigação

Todas as imagens de videomonitoramento já estão com a Polícia Civil de Tijucas. Segundo o delegado Paulo Alexandre Freyesleben e Silva, eles irão analisar o conteúdo e produzir o relatório detalhado do caso.

Conforme a denúncia, por volta das 17h do dia 27 de agosto, a acusada atraiu a vítima até as imediações de uma cerâmica desativada no bairro Galera, em Canelinha, sob o pretexto de que iriam a um chá de bebê. Antes disso, o MP aponta que o casal já havia traçado o plano do crime. – Foto: PM

Os celulares encontrados na terça-feira (1º), na casa da suspeita de ter realizado o crime, ainda estão no IGP (Instituto Geral de Perícias).

O laudo das lesões na criança deverão ficar pronto na tarde desta terça-feira (8).

A polícia aguarda também exames da perícia para comparar o tipo sanguíneo encontrado no corpo da jovem assassinada, com o da acusada do crime. Isso ajudará a concluir se a mulher teve ajuda de terceiros, ou se cometeu sozinha.

Casal acusado pelo crime

O casal investigado por assassinar uma jovem grávida em Canelinha, foi denunciado pelo Ministério Público na sexta-feira (4). A denúncia foi aceita na sequência pelo juiz Luiz Fernando Pereira de Oliveira, da 1ª Vara Criminal da Comarca de Tijucas.

Assim, os dois se tornam réus pelo crime brutal que chocou Santa Catarina e o Brasil.

Os dois foram denunciados pelos crimes de homicídio qualificado, com as qualificadoras de feminicídio, motivo torpe, meio cruel, recurso que dificultou a defesa da vítima e, ainda, pelo crime ter sido cometido por emboscada e mediante dissimulação.

De acordo com a denúncia, assinada pelos promotores de Justiça Mirela Dutra Alberton, Alexandre Carrinho Muniz e Fred Anderson Vicente, o casal ainda foi denunciado por tentativa de homicídio qualificado, por dificultar a defesa da vítima, contra o bebê.

Missa de sétimo dia

A Igreja Matriz de Canelinha recebeu, neste domingo (6), a missa de sétimo dia da mulher grávida assassinada no dia 28 de agosto. Após a cerimônia em homenagem à vítima, amigos e familiares saíram em carreata pelas ruas de Canelinha, pedindo justiça.

Um telão foi montado do lado de fora da capela para transmitir a cerimônia, como forma de evitar aglomeração, devido à pandemia de Covid-19.

+

Polícia