Cachorras morrem após serem esquecidas por seis horas em carro de pet shop em São José

Proprietária do estabelecimento diz que esqueceu os animais após ter ficado nervosa com buraco na rua

Depois de seis horas esquecidas dentro de um carro de pet shop, duas cachorrinhas morreram em São José, na Grande Florianópolis, na última quarta-feira (26).

Cachorrinhas foram encontradas mortas após ficarem trancadas em carro de pet shop – Foto: Divulgação/NDCachorrinhas foram encontradas mortas após ficarem trancadas em carro de pet shop – Foto: Divulgação/ND

A tutora dos animais, Chaiane Nascimento, afirma que elas eram levadas todas as quartas-feiras, há cerca de três anos, para serem cuidadas no estabelecimento “Lelê Pet Um banho de carinho”, no bairro Forquilhas.

“A dona Elecir sempre cuidou e tratou os cachorrinhos muito bem, sempre foi muito amorosa. Entendo que ela não fez de propósito, porém, ela tirou duas vidas muito importantes”, desabafa Chaiane. A família está muito abalada.

As pequenas Bel e Lulu, de 7 e 4 anos, foram encontradas pela proprietária do pet shop, Elecir Borges Conte, que afirma tê-las esquecido porque ficou nervosa após desviar de um buraco na rua.

“Elas eram as últimas a serem entregues, mas no caminho, já perto do destino, havia aberto na rua um buraco e passei com muita dificuldade e cuidado para não bater o carro. Cheguei em casa e deixei o carro na garagem coberta”, relatou Elecir.

Ainda segundo ela, tinham cones, pessoas e máquinas trabalhando no asfalto, o que teria tirado sua atenção. À tarde, por volta das 18h, quando abriu a porta do veículo, se deparou com os animais mortos.

Assim que viu as duas cachorras, Elecir diz que entrou em pânico e “tirou imediatamente as duas do carro para ver se podia socorrer ou fazer alguma coisa para reanimar. Mas infelizmente não havia nada a ser feito”. As páginas do pet shop nas redes sociais foram excluídas.

Agora as investigações serão conduzidas pelo delegado Felipe Simão, responsável pela 1ª Delegacia de Polícia em São José.

Desconfiança do relato

Os animais deveriam ter sido entregues ao meio-dia em casa. Como os tutores trabalham o dia inteiro, Elecir abria o portão da casa e os deixava no pátio, como de costume, mas não foi o que ocorreu naquela quarta.

Um boletim de ocorrência foi registrado na Polícia Militar. Nele, Elecir relata que os animais, sem raça definida, ficaram dentro da caixa no carro. No entanto, Chaiane acredita eles podem ter sido deixados no porta-malas do carro.

As duas cachorrinhas ficaram em caixa de transporte por seis horas, segundo proprietário do pet shop – Foto: Divulgação/NDAs duas cachorrinhas ficaram em caixa de transporte por seis horas, segundo proprietário do pet shop – Foto: Divulgação/ND

“Um vizinho comentou que mandou o cachorrinho dele no mesmo dia e ela o entregou às 11h45. Ele disse que não tinha mais nenhum cachorro no carro”, relata.

“A minha desconfiança, diante de tudo o que eu já conversei com os vizinhos, é que em vez de ela colocar as cachorras dentro da caixa no banco, como ela disse, ela deve ter colocado no porta-malas. Aí sim faz sentido o esquecimento dela, porque realmente ela não viu as cachorras no carro”, diz Chaiane.

Em relação a isso, a proprietária do pet shop é categórica: “nunca coloquei nenhum pet no porta-malas. Não caberia pois é muito pequeno. A polícia está investigando, e se tiver realmente justiça, vai ser esclarecido”.

Ela lamenta e afirma que os clientes a estão apoiando.“Estou completamente destruída por esse fato, nunca tinha acontecido nada parecido, peço perdão do fundo do meu coração, vou ter que conviver com isso todos os dias.”

Além disso, desabafou que “quem está me julgando nas redes sociais não me conhece. Meus clientes estão me oferecendo ajuda, no mais vou responder na Justiça”, finaliza.

“Nem um minuto” em carro fechado

Ao menos três cachorros foram resgatados em carros fechados em Santa Catarina nas últimas semanas.

No último dia 17, um cão foi encontrado trancado em um carro, embaixo de sol forte, em Balneário Camboriú.

O caso foi atendido pela Guarda Municipal e aconteceu menos de uma semana após o resgate da cachorrinha Kyra, que ficou mais de quatro horas trancada enquanto os donos almoçavam na mesma cidade.

Segundo o veterinário Igor Martins, a recomendação é não deixar o animal dentro do carro sozinho “nem por um minuto”.

“Por menor que seja o tempo dentro do carro, é melhor deixar em casa, em um ambiente mais fresco, com ventilação, principalmente nesse verão. Mesmo com ar ligado e janela aberta, fica abafado, se esse carro ficar fechado ou embaixo do sol”, reforça o profissional.

O tempo que um animal de estimação consegue ficar em um carro sem ter problemas de saúde é bastante variável e é difícil determinar, especialmente pelas diferentes espécies.

Cachorro foi esquecido por mais de 4 horas em carro fechado na praia Brava em Itajaí – Foto: Polícia Militar/ReproduçãoCachorro foi esquecido por mais de 4 horas em carro fechado na praia Brava em Itajaí – Foto: Polícia Militar/Reprodução

“Há dificuldades respiratórias em algumas raças, com focinhos mais chatos. Imagina manter um animal pesado, com baixa circulação de ar, isso tudo dificulta ainda mais a respiração do animal. O ideal é não manter nem um minuto”, afirma.

Sobre o caso de Bel e Lulu, Martins diz que “jamais deveria acontecer”. O cuidado deveria ser redobrado por se tratar de uma pessoa que trabalha com animais, avalia o veterinário.

A baixa circulação nos carros cargueiros que levam os animais, somado ao estresse do transporte, pode levar o animal a morrer em poucas horas, de acordo com Martins. “Seres humanos são falhos, mas é algo que jamais deveria acontecer.”

Participe do grupo e receba as principais notícias
da Grande Florianópolis na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.
+

Polícia

Loading...