Cadela Meg, da Polícia Militar de Criciúma, morre aos 7 anos

Cachorra era especialista em busca, captura, guarda e proteção; animal da raça pastor-alemão havia sido internado em clínica veterinária

A cachorra Meg, da Polícia Militar, morreu na tarde deste domingo (29), em São José, na Grande Florianópolis. O animal era integrante do canil do 9º Batalhão de Polícia Militar, de Criciúma.

Cachorra Meg faria 8 anos este ano – Foto: PMSC/Divulgação/ND

A causa da morte ainda não havia sido identificada até a manhã desta segunda-feira (30). Segundo a PM, na terça-feira (24), Meg não se alimentou e estava apática. Em função disso, foi levada para uma clínica veterinária em Criciúma.

Na quinta-feira (26), a cadela foi transferida para outra clínica, em São José, onde acabou morrendo.

Leia também:

Meg era especialista em busca, captura, guarda e proteção. O animal da raça pastor-alemão tinha 7 anos. Atuou em rebeliões de presídios, policiamento de grandes eventos e partidas de futebol, além de ter auxiliado na captura de foragidos em área de mata.

“O que mais gostava de fazer era patrulhar na viatura com seus colegas policiais, trazendo muita alegria para a PMSC. Enfim, cumpriu sua missão e será lembrada com alegria por todos nós!”, informou a nota da PM.

Causa da morte ainda não foi identificada – Foto: PMSC/Divulgação/ND

+

Polícia