Câmeras mostram serial killer após assassinar gays em SC e PR

Vídeos foram divulgados pela Polícia Civil que procura José Tiago Soroka, de 33 anos; em três semanas, o homem matou três homossexuais

Uma série de imagens registradas por câmeras de segurança mostram os passos de José Tiago Correia Soroka, de 33 anos,  o “Japa”, apontado como o serial killer do Sul. No último domingo (16), a identidade do foragido foi revelada pela investigação em fotos e vídeos, uma vez que há mandados de prisão temporária abertos contra ele no Paraná e em Santa Catarina.

Imagens foram divulgadas pela Polícia Civil do Paraná no último domingo – Foto: Polícia Civil/NDImagens foram divulgadas pela Polícia Civil do Paraná no último domingo – Foto: Polícia Civil/ND

De 16 de abril a 4 de maio, Soroka matou três homossexuais, sendo dois em Curitiba/PR e um em Abelardo Luz/SC. Todas as vítimas moravam sozinhas e foram mortas da mesma maneira: na cama de casa com sinais de asfixia. Para a polícia, ele é considerado um assassino em série e tem perfil de psicopata. 

Segundo as investigações, o suspeito se aproximava das vítimas por meio de aplicativos de relacionamento. Ele começava trocando fotos, marcava um encontro na casa da vítima, onde as estrangulava e, após o sufocamento, as cobria com cobertas. 

A DHPP (Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa) do Paraná revelou que o homem não chegava a ter relação sexual com as vítimas. A polícia ainda não sabe o motivo dos crimes.

“Ele tem perfil de serial killer, com problemas psicológicos. Precisamos tirá-lo de circulação o quanto antes, pois está matando uma média de uma pessoa por semana. Queremos realmente alertar o grupo gay”, afirmou o delegado Thiago Nóbrega, que investiga os casos no Paraná.

Polícia Civil divulgou cartazes com foto do suspeite – Foto: Polícia Civil/Divulgação/NDPolícia Civil divulgou cartazes com foto do suspeite – Foto: Polícia Civil/Divulgação/ND

Além dos três latrocínios no Paraná, —  pois roubava computadores e celulares das vítimas — no dia 11 de maio, Soroka teria tentado fazer outra vítima no bairro Bigorrilho, em Curitiba. O rapaz conseguiu escapar dele, teve alguns objetos roubados e procurou a polícia para contar o ocorrido. 

“Ele age do mesmo modo há 30 dias, sempre com homossexuais. Ele vai até a casa das vítimas e lá pega a pessoa desprevenida, dá um mata leão, a sufoca com travesseiro ou coberta e leva pertences da vítima após o assassinato”, disse a delegada Camila Cecconello.

As imagens 

As imagens reveladas pela polícia mostram a movimentação do assassino em Curitiba por vários ângulos. Os vídeos foram divididos conforme o dia de cada crime. 

O primeiro mostra Soroka em 27 de abril próximo ao prédio de David Júnior Alves Levisio, em Curitiba. O vídeo mostra ele chegando e saindo do edifício, bem como mexendo no carro da vítima e indo embora caminhando.

Já o próximo vídeo mostra José no dia 4 de maio, em Curitiba. Ele aparece saindo do prédio de Marco Vinício Bozzana da Fonseca com objetos do estudante. As câmeras também mostram ele entrando em um táxi e, depois, andando a pé.

O último vídeo divulgado pela polícia mostra José em Almirante Tamandaré/PR após abandonar o carro da vítima Robson Paim, que foi morto em Abelardo Luz

Existe a suspeita que José Tiago Correia Soroka esteja em Santa Catarina. As polícias dos dois estados trabalham para encontrar o serial killer. Denúncias anônimas podem ser feitas por meio dos telefones 181, 197 ou 0800 643 1121.

Perfil do assassino 

José Tiago é do município de Palmas, no Sul do Paraná, mas passou a infância em Abelardo Luz, a cidade catarinense onde cometeu o primeiro crime. Atualmente ele morava em Almirante Tamandaré, na Região Metropolitana de Curitiba.

A polícia descobriu que ele tem dois filhos e saiu do emprego que trabalhava em março deste ano. Ele tem passagem por roubo, em 2015 e 2019, e também uma medida protetiva por uma ex-namorada.

“Ele teve a frieza de falar para a vítima, enquanto ela estava sob seu poder, de que ele era o coringa. A vítima até o questionou. Ele falou, eu gosto de matar. Eu mato porque eu gosto. Tudo leva a crer que a gente está sim diante de um psicopata ou um serial killer”, afirmou o delegado Thiago Nóbrega. 

Quem são as vítimas?

As vítimas do matador – Foto: Reprodução/NDAs vítimas do matador – Foto: Reprodução/ND

Dia 16 de abril: Robson Olivino Paim, de 36 anos, foi achado morto por familiares em casa no município de Abelardo Luz, no Oeste catarinense. Paim era professor na UFFS (Universidade Federal da Fronteira Sul) e estava doutorando em Geografia na Udesc (Universidade do Estado de SC).  Ele foi a primeira vítima. O carro dele foi roubado pelo assassino e levado para o Paraná. 

Dia 27 de abril: David Júnior Alves Levisio,  de 30 anos, foi achado morto no próprio apartamento em Curitiba. Ele era enfermeiro e estava com as mãos amarradas. 

Dia 4 de maio: Marco Vinício Bozzana da Fonseca, de 25 anos, foi encontrado com sinais de esganadura em Curitiba. Ele era estudante de medicina. 

Mais duas mortes sob investigação

A morte do ex-chefe de José Tiago Correia Soroka também está sendo investigada. O ex-patrão foi encontrado morto em um apartamento no dia 30 de abril, a vítima também era homossexual. O corpo pode ser exumado. As informações são da RIC Record TV, 

Outro caso suspeito é de um enfermeiro que foi morto em situação semelhante em Toledo. A Polícia Civil investiga se há ligação entre os casos.

*Colaboração RIC Mais, do Paraná. 

Participe do grupo e receba as principais notícias
de Chapecó e região na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.
+

Polícia