Caminhoneiro é dopado durante sequestro em Gaspar

Vítima foi localizada em um arrozal e o caminhão permanece desaparecido

Luis Eduardo Zuchi, de 27 anos, é motorista de um caminhão de guincho de uma empresa de seguros. Ele estava desaparecido desde o começo da tarde de ontem (1º), o rapaz estava a caminho de Timbó e em seguida iria para Gaspar onde deixaria um veículo em uma oficina. O caminhoneiro foi encontrado com vida na manhã desta quarta-feira (2) em um arrozal em Gaspar, onde os sequestradores o deixaram.

A vítima estava desaparecida desde terça-feira e foi localizada nesta manhã em Gaspar – Foto: Policia MilitarA vítima estava desaparecida desde terça-feira e foi localizada nesta manhã em Gaspar – Foto: Policia Militar

A mãe, Patrícia Zuchi Lopes relatou ao ND+ que o último contato com o filho foi no horário de almoço quando perguntou a Luis  se almoçaria em casa.

“Eu perguntei para ele se ele viria almoçar, e ele me disse que estava caminho de Timbó para pegar um carro e em seguida levaria até Gaspar em uma oficina e que almoçaria na empresa”, diz.

Durante a tarde, Patrícia fala que o filho não fez nenhum contato, porém ás 17h ela lhe enviou uma mensagem, a qual não foi respondida, mas foi recebida no celular.

“Fiz contato nos dois celulares dele, no da empresa e no particular, no celular particular ele recebeu minha mensagem. Já no da empresa, sua última visualização foi por volta do 12h18” explica.

Preocupada, a mãe fez contato com um colega de trabalho do Luis que também não sabia o paradeiro do amigo. Diante da situação foi ligado para o patrão, e logo depois foi constatado que Luis estava desaparecido.

Última localização

Patrícia explica que o patrão de Luis fez um rastreamento e que o último contato com o motorista foi ás 13h na rua Niterói em Gaspar. Os telefones, de acordo com a mãe foram rastreados em Imbituba e o caminhão tinha passado por volta das 3h da manhã em um pedágio de Araquara em sentido a Rio Grande do Sul.

Vítima encontrada

Por volta das 8h da manhã, Luis fez contato com a empresa, segundo a mãe o filho relatou que tinha acordado em uma arrozeira, em Gaspar.

A mãe comenta que o filho veio para casa, “ele estava todo sujo e logo foi tomar banho para ir à delegacia”, diz. Patrícia fala que o filho relatou para a família que ele foi encapuzado, mas que antes os bandidos fizeram com que Luis dirigisse até Ilhota.

“Cada um entrou de um lado do veículo armado e mandaram-no continuar olhando reto e dirigindo o caminhão. Depois o encapuzaram, deram um remédio para ele dormir e o colocaram no porta-malas” explica a mãe.

A mãe fala que o filho chorava muito, ele não teve nenhum ferimento, mas não se lembra de muita coisa e foi torturado psicologicamente. O rapaz foi até a Delegacia de Polícia para realizar o boletim de ocorrência. O caminhão  da Volkswagen, com placas QHU-4110 ainda não foi localizado.

Participe do grupo e receba as principais notícias
de Blumenau e região na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.
+

Polícia

Loading...