Caso Ícaro: desaparecimento de menino de BC completa cinco anos

Ícaro, na época com sete anos, desapareceu de sua casa no centro de Balneário Camboriú, no carnaval de 2016

São cinco anos sem notícias de Ícaro Alexandre Pereira Lima Rocha. Aos sete anos, o menino sumiu de dentro de sua casa, e cinco anos depois, o caso segue arquivado por falta de provas.

O padrasto do menino chegou a ser preso preventivamente, mas, por falta de provas, ele foi liberado. A Polícia Civil continuou as investigações por um ano, mas, em 2016, o caso foi arquivado.

Caso Ícaro completa cinco anos sem novas pistas. – Foto: Reprodução/Facebook/NDCaso Ícaro completa cinco anos sem novas pistas. – Foto: Reprodução/Facebook/ND

A família segue sem respostas. De acordo com o advogado de defesa do padrasto de Ícaro, Frederico Goedert de Gebauer, de fato, ninguém chegou a ser indiciado ou acusado de qualquer crime.

Ícaro estava em casa, segundo depoimento da família na época, a mãe e o padrasto saíram para trabalhar e o menino ficou sozinho. Quando voltaram, ele não estava mais em casa.

Era terça-feira de Carnaval, 9 de fevereiro de 2016.

As buscas começaram quase imediatamente. A DIC (Divisão de Investigação Criminal) trabalhou, inicialmente, com a possibilidade de desaparecimento. Depois, a hipótese levantada é que o menino estaria morto.

Vizinhos contaram, na época, que não perceberam nenhuma movimentação estranha na casa, que era alugada pela família, natural de São Paulo, e tinha portão eletrônico, cercas altas e grades nas janelas.

Dois meses depois do desaparecimento, a polícia realizou buscas pelo corpo do menino. Mais de 20 homens, da PM (Polícia Militar), Bombeiros e Polícia Ambiental, com o auxílio de cães, buscaram pelo corpo de Ícaro, mas nada foi encontrado.

O mistério intriga até hoje moradores, investigadores e não deixa fechar a ferida na família. A mãe, desde a época do desaparecimento, não dá mais entrevistas.

Acesse e receba notícias de Itajaí e região pelo WhatsApp do ND+

Entre no grupo
+

Polícia