Catarinense é preso no Paraguai por tráfico de drogas e armas

Rodrigo Braga, o Turco, é apontado como suspeito de fornecer drogas e armas para criminosos no RJ. Ele é considerado foragido do Sistema Penitenciário de Santa Catarina

O catarinense Rodrigo Braga, de 34 anos, conhecido como Turco, está preso desde o último sábado (13). Ele foi encontrado em uma mansão na cidade paraguaia de San Bernardino, a 50 quilômetros da capital Assunção, e deverá ser transferido para Santa Catarina.

O catarinense foi preso em um mansão no Paraguai – Foto: Divulgação/ NDO catarinense foi preso em um mansão no Paraguai – Foto: Divulgação/ ND

Turco é apontado, pela Polícia, como um dos braços do paranaense Ricardo Luiz Picolotto Pedroso da Silva, conhecido como R7, um dos maiores fornecedores de armas e drogas para o Brasil, ligado a uma organização criminosa nacional.

Ele foi capturado em uma operação coordenada pela Delegacia Especializada de Armas, Munições e Explosivos (Desarme) e a Secretaria Nacional Antidrogas do Paraguai (Denad). Turco vivia em uma mansão avaliada em R$ 2,7 milhões, com identidade falsa do Pará, em nome de Gabriel Mendes da Silva.

No local onde Turco foi detido, os policiais encontraram uma arma de grosso calibre, munições de diversos calibres e contabilidades que indicam o envio de armas contrabandeadas de várias regiões do mundo para o Brasil. As armas viriam da Europa, dos Estados Unidos, da Ásia e do Oriente Médio e abasteciam o crime organizado no Brasil.

Turco é foragido do sistema prisional catarinense – Foto: Divulgação/ NDTurco é foragido do sistema prisional catarinense – Foto: Divulgação/ ND

Rodrigo Braga é fugitivo do presídio de Itajaí e responde por tráfico de drogas, receptação, adulteração de sinal identificador de veículo e furto.

Em janeiro do ano passado, ele ganhou o benefício da saída temporária e não retornou. Acabou se refugiando no Paraguai onde passou a ajudar no tráfico de armas e drogas.

Ele foi expulso do Paraguai na noite desta segunda-feira (15) e entregue para agentes da Polícia Federal do Brasil na Ponte da Amizade entre Ciudad Del Este e Foz do Iguaçu no Paraná.

Ele deverá ser conduzido pela Polícia Federal até Santa Catarina, onde ele vai cumprir pena por tráfico de drogas, associação para fins de tráfico, porte de arma e uso de documentação falsa. Ainda não há previsão de quando essa transferência deve ser realizada.

Acesse e receba notícias de Itajaí e região pelo WhatsApp do ND+

Entre no grupo
+

Polícia