Golpe do aluguel: como garantir que o imóvel alugado existe e não cair em armadilhas

De janeiro a setembro deste ano foram mais de 50.500 boletins de ocorrência registrados em SC. No caso específico dos aluguéis de imóveis, eles vêm aumentando cada vez mais nesta época do ano

Com a proximidade do verão, aumenta a oferta de aluguel de imóveis em Santa Catarina, principalmente no litoral. Mas é preciso ter cuidado, pois o número de golpes envolvendo contratos de aluguel também cresce.

Jovem caiu em golpe após ver anúncio de aluguel em uma rede social – Foto: Reprodução/InternetJovem caiu em golpe após ver anúncio de aluguel em uma rede social – Foto: Reprodução/Internet

Erenita Klaus é funcionária pública e aluga uma casa há quatro anos na Praia dos Ingleses, em Florianópolis. O espaço amplo, com churrasqueira e piscina é o sonho de muitos, mas já virou pesadelo para outros e para a proprietária. Ela já perdeu as contas de quantas vezes precisou ir à delegacia nos últimos dois anos para registrar boletins de ocorrência: sua casa é alvo constante de postagens falsas na internet. O antigo golpe dos aluguéis falsos de temporada.

“A casa eles anunciam direitinho como ela é. Por isso que eles pegam essas fotos, mas o valor eles colocam lá embaixo e colocam para 12,15 até 20 pessoas. E as pessoas acabam se empolgando e não tem o que a gente fazer”, contou Erenita.

A funcionária pública, de fato, aluga a casa através de um site especializado e em outras três imobiliárias da região. O problema é que os anúncios verdadeiros deram brecha aos golpistas. Atualmente, há pelo menos quatro anúncios falsos na internet.

“Eu acredito que seja pelas imobiliárias que eles pegam as fotos, que eu tenho três imobiliárias super de confiança aqui nos Ingleses. As pessoas do meu trabalho, meus colegas, me ligam dizendo que a minha casa tá no golpe de novo. A gente vai no OLX, olha e a casa tá lá. Aí, eu vou, bloqueio e, daqui a pouco, novamente”.

Golpes como esse se enquadram como crime de estelionato. De janeiro a setembro deste ano foram mais de 50.500 boletins de ocorrência registrados no estado. No caso específico dos aluguéis de imóveis, eles vêm aumentando cada vez mais nesta época do ano conforme aumenta a disponibilidade de sites na internet.

O delegado Alber Figueiredo contou que só no último verão foram mais de 60 registrados na unidade do Norte da Ilha. O golpe é antigo, comum em toda a região litorânea e não acontece só em sites nacionais.

Segundo o delegado, “tem vários sites de locação de imóveis e o cara pode estar operando num site lá em Manaus, alugando um imóvel aqui. Então, assim, não é uma exclusividade de sites específicos. São vários sites de locação por temporada. Pode ser um site no Paraná, um site em São Paulo, que as pessoas cadastram, dando o golpe em quem vem de lá para Florianópolis”.

Como se proteger

Para evitar cair na armadilha, Figueiredo dá três dicas. A primeira delas é conferir se o endereço bate com a fachada do imóvel em um aplicativo de localização. Depois, colocar o endereço no site de busca na internet. Se houver mais de um anúncio com o mesmo imóvel, valores e locatários diferentes, trata-se de um golpe. Por último, certifique-se com profissionais de confiança.

Delegado aconselha a pesquisar endereço do imóvel desejado na internet, para evitar cair em golpes – Foto: Freepik/Divulgação/NDDelegado aconselha a pesquisar endereço do imóvel desejado na internet, para evitar cair em golpes – Foto: Freepik/Divulgação/ND

“Com a tecnologia, vem todas as facilidades e todos os problemas que a tecnologia traz. O que a pessoa que está fora da região onde ela vai tentar locar um imóvel pode fazer é tentar se certificar, através de alguma imobiliária próxima do local onde ela tá tentando fazer a locação do imóvel, se aquele imóvel realmente existe, se aquela rua realmente existe e se o [anunciante] é dono daquele imóvel. É uma maneira da pessoa tentar se garantir”, disse o delegado.

Também é possível identificar ou evitar um golpe no momento da negociação. “Tentar fazer toda a forma de pagamento no ato da entrada no imóvel, não tentar dar sinal, ou tentar fazer o pagamento com cartão de crédito, porque você tem como bloquear posteriormente se você está sendo vítima de um golpe. Ele [o golpista] vai querer sempre exigir o dinheiro já de imediato. Via de regra, ele não barganha muito na negociação, ele aceita logo o que a pessoa tá querendo pagar”, orientou Figueiredo.

Depois de pagar o valor é difícil reverter a situação, mas não impossível com a ajuda de um advogado. De acordo com Leonardo Cisne, da comissão de Direito Digital da OAB/SC, “eles podem ser encontrados, seja através de rastreio das movimentações financeiras através do Banco Central ou através de uma ação judicial, para identificação dos dados cadastrais de quem estava usando aquele usuário naquele dia, hora e endereço de IP”.

“Para se prevenir de cair em algum tipo de golpe, procure sempre negociar diretamente com uma imobiliária ou através de algum site específico para esse tipo de aluguel de temporada e que possa garantir que você estará falando diretamente com o proprietário do imóvel”, aconselhou Cisne.

Mas para evitar toda essa dor de cabeça e curtir as férias com a família em um lugar dos sonhos, a principal dica é: “Se é muito barato, desconfie”, disse Erenita.

Saiba mais na reportagem do Balanço Geral Florianópolis.

+

BG Florianópolis

Loading...