Corpo da representante comercial que matou bombeiro em Florianópolis ainda não deixou IML

Família natural do Mato Grosso do Sul deve realizar reconhecimento; Laysa Kaena tirou a própria vida após matar namorado

Até o início da tarde desta segunda-feira (20), o corpo de Laysa Kaena ainda não tinha sido liberado do IML (Instituto Médico Legal). A represente comercial, de 29 anos, tirou a própria vida após alvejar o namorado e bombeiro militar, Smaylin Willian Schappo, de 33. O caso ocorreu na quinta-feira (16), em Florianópolis.

Corpo de Laysa Kaena ainda aguarda reconhecimento em FlorianópolisLaysa Kaena morava há dois anos na Capital – Foto: Reprodução/Redes Sociais

É necessário o reconhecimento por parte dos familiares, que moram em Mato Grosso do Sul. O IML estima que ela seja liberada ainda nesta segunda. O irmão da vítima deve ir até o local realizar o procedimento. Kaena morava há cerca de dois anos em Florianópolis e trabalhava em uma empresa de materiais de construção.

O crime, segundo a investigação, foi desencadeado por uma briga entre o casal. Conhecedora de armas, ela utilizou a pistola 380 de Schappo e o matou com apenas uma bala, dentro do quarto do bombeiro. A casa fica no bairro Ingleses, no Norte da Ilha de Santa Catarina.

Em estado de choque, ela atentou contra a própria vida em seguida. Os policiais militares, acionados pela amiga da representante que presenciou o crime, tentaram acalmá-la mas não conseguiram. Duas balas foram disparadas: um tiro foi suficiente para matar o bombeiro, e outro para tirar a própria vida.

Smaylin Willian Schappo, de 33 anos, foi morto pela namorada em Ingleses, Norte da Ilha de Santa Catarina – Foto: Arquivo pessoal/InternetSmaylin Willian Schappo, de 33 anos, foi morto pela namorada em Ingleses, Norte da Ilha de Santa Catarina – Foto: Arquivo pessoal/Internet

Sepultamento

O corpo de Smaylin Willian Schappo foi transportado nesta sexta-feira (17) para a cidade natal do bombeiro, em São Miguel do Oeste, no Oeste de Santa Catarina. Uma homenagem também foi prestada pelo 1° Batalhão do Corpo de Bombeiros Militar.

Schappo, sobrenome que também era apelido de guerra nos quartéis, atuava como bombeiro desde 2006. Ele passou pelo extinto Batalhão de Ratones e pela unidade de Canasvieiras. Nos últimos anos ele atuava no Cobom (Centro de Operações de Bombeiros).

Participe do grupo e receba as principais notícias
da Grande Florianópolis na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.
+

Polícia

Loading...