Corpos carbonizados em incêndio trágico de Florianópolis precisarão de exame DNA

Estado avançado de carbonização exige que a identificação oficial das três vítimas seja feita, somente, mediante DNA

A Polícia Científica (antigo IGP) segue trabalhando para identificar as vítimas do incêndio que matou três pessoas, na noite desta terça-feira (11), em Florianópolis.

Devido ao avançado estado de carbonização dos corpos a estimativa é que as identidades só sejam confirmadas mediante exame de DNA e, dessa forma, essa oficialização ainda demore mais uns dias.

Incêndio atingiu parte de casa e consumiu garagem onde estava a Kombi - Corpo de Bombeiros Militar/Divulgação
1 4
Incêndio atingiu parte de casa e consumiu garagem onde estava a Kombi - Corpo de Bombeiros Militar/Divulgação
Fragmentos do cilindro de GNV atingiram jovem na cabeça - Corpo de Bombeiros Militar/Divulgação
2 4
Fragmentos do cilindro de GNV atingiram jovem na cabeça - Corpo de Bombeiros Militar/Divulgação
Segundo a avaliação preliminar da Defesa Civil de Florianópolis, a estrutura foi totalmente comprometida - Defesa Civil/Divulgação/ND
3 4
Segundo a avaliação preliminar da Defesa Civil de Florianópolis, a estrutura foi totalmente comprometida - Defesa Civil/Divulgação/ND
Causas do incêndio devem ser apontadas em até 30 dias - Paulo Mueller/NDTV
4 4
Causas do incêndio devem ser apontadas em até 30 dias - Paulo Mueller/NDTV

A informação foi repassada pela assessoria da Polícia Científica que, em contato com peritos do IML (Instituto Médico Legal), a situação é de “dificuldade” devido ao estado dos cadáveres.

“Aqui só sai a comunicação oficial, os corpos estavam totalmente carbonizados e a identificação oficial precisa ser precisa. Acredito que seja necessário o DNA pois, até agora, não teve condições”, explicou uma fonte à reportagem.

Incêndio devastador

O pai, de 56 anos, dois filhos, de 7 anos, e um cachorro mortos em um incêndio na noite desta terça-feira (11), em Florianópolis, foram encontrados carbonizados na cozinha, nos fundos da casa, segundo o Corpo de Bombeiros Militar. Os três estavam a cerca de 1 metro de distância cada.

FRAME - Incêndio deixou três mortos na região continental de Florianópolis - Carolina Alves Silva/NDTV/divulgação
1 3
FRAME - Incêndio deixou três mortos na região continental de Florianópolis - Carolina Alves Silva/NDTV/divulgação
Imagem das chamas é impressionante; três vítimas fatais no incêndio - Carolina Alves Silva/NDTV/divulgação
2 3
Imagem das chamas é impressionante; três vítimas fatais no incêndio - Carolina Alves Silva/NDTV/divulgação
Incêndio em residência, na região continental de Florianópolis - Divulgação/ND
3 3
Incêndio em residência, na região continental de Florianópolis - Divulgação/ND

Por volta das 20h, o Corpo de Bombeiros foi acionado para o combate às chamas na rua Irmã Bonavita, entre os bairros Estreito e Capoeiras.

Segundo a Defesa Civil, o homem tinha cinco filhos, sendo que três moravam com ele. O menino de 10 anos, que não estava em casa durante o incêndio, foi levado à casa de parentes. Outros dois filhos, de 17 e 20 anos, moram com familiares.

O incêndio iniciou na frente da casa de madeira, que foi totalmente consumida pelas chamas. Os bombeiros cortaram a energia elétrica e montaram duas linhas de atuação, uma de combate direto às chamas e outra para preservação das casas vizinhas.

Foram acionadas equipes do Estreito e São José, com três caminhões de combate a incêndio, uma ambulância, além uma viatura de apoio, para atender a ocorrência.

Causa tem prazo de até 30 dias

Um laudo do Corpo de Bombeiros será elaborado e o documento, pelo prazo legal, tem 30 dias para ficar pronto. A Polícia Civil, via Delegacia do Continente, abriu um inquérito para investigar a causa do sinistro que, segundo repassado, teve origem na parte frontal da residência.

Participe do grupo e receba as principais notícias
da Grande Florianópolis na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.
+

Polícia

Loading...