Deic cumpre mandados no Alto Vale do Itajaí em operação que apura fraudes contra a Celesc

Ação ocorreu nas cidades de Rio do Sul, Ituporanga, Vidal Ramos e Pouso Redondo. Agricultores seriam aliciados para entrar na justiça com ações fraudulentas contra a concessionária de energia elétrica

A Diretoria Estadual de Investigações Criminais (Deic), por meio da Delegacia de Estelionatos e Defraudações (DD/Deic), cumpriu sete mandados de busca e apreensão em cidades do Alto Vale do Itajaí.

A ação ocorreu dentro da Operação Nicotiana, que apura o aliciamento de agricultores para entrar com ações judiciais fraudulentos contra a Celesc. O prejuízo da concessionária de energia elétrica e aos cofres públicos é estimado em R$ 26 milhões.

Mandados de busca e apreensão foram cumpridos nas cidades de Rio do Sul, Ituporanga, Vidal Ramos e Pouso Redondo. – Foto: Divulgação/Polícia Civil de SC

De acordo com informações da Polícia Civil, os mandados foram cumpridos em quatro cidades do Alto Vale do Itajaí:Rio do Sul, Ituporanga, Vidal Ramos e Pouso Redondo.

Segundo a Deic, a investigação começou em 2019 e busca apurar um suposto esquema fraudulento onde agricultores seriam aliciados para ingressar com ações judiciais contra a Celesc de indenização por danos decorrentes de falta de energia elétrica. Eles utilizariam laudos fraudulentos nos processo, misturados com situações verdadeiras.

Conforme o delegado Pedro Mendes, responsável pela operação, foram apreendidos computadores e documentos, além de arquivos digitais durante as ações desta quinta. “A análise dessa documentação vai nos ajudar a chegar a conclusão da existência ou não da fraude. Porém, há fortes indícios de que eram realmente cometidas”, explica.

Operação Nicotiana, no Alto Vale do Itajaí, busca esclarecer o uso de laudos fraudulentos em processos contra a Celesc – Foto: Divulgação/Polícia Civil de SCConforme a investigação, o esquema vem causando prejuízo milionário à concessionária e, por consequência, aos cofres públicos e aos consumidores do estado. As investigações apuraram que laudos fraudados podem ter sido usados em mais de 1.200 ações judiciais na região de Rio do Sul e Ituporanga.

Os mandados foram cumpridos em dois escritórios de advocacia, residências de agricultores e escritórios de agrônomos que também estariam envolvidos. Ainda segundo Mendes, a partir da apreensão dos objetos será dada a oportunidade para os investigados de esclarecerem os fatos. A investigação segue. Não foi informado quem aliciava os agricultores e quantos seriam.

+

Polícia