Delegado de Mafra é afastado do cargo durante investigação de desvio de máquina jukebox

Rafaello Ross é acusado de utilizar da função para influenciar provas no processo em que é investigado por enriquecimento ilícito

O delegado Rafaello Ross, da Delegacia Geral de Polícia Civil de Mafra, no Norte de Santa Catarina, foi afastado do cargo de forma preventiva. Isso ocorreu por decisão do Ministério Publico em uma ação de improbidade administrativa. A decisão liminar pelo afastamento foi deferida pela Justiça no dia 26 de março de 2019, a pedido da 3ª Promotoria de Justiça de Mafra.

Na decisão, o Ministério Publico entendeu que o delegado utilizou de sua função para influenciar nas provas e também pressionar testemunhas depois que passou a ser investigado pelo desvio de uma máquina jukebox durante uma ação policial. Segundo o MP, o delegado chegou a produzir provas para mudar o rumo das investigações.

Segundo a acusação, Ross e outros dois agentes penitenciários teriam desviado uma máquina jukebox, apreendida no sítio de um ex-prefeito da cidade. No entanto, ao invés de o equipamento permanecer na delegacia, foi parar no salão de festas de um dos agentes, onde ficou por aproximadamente dois anos.

Os três devem responder por enriquecimento ilícito. O delegado disse que ainda não foi notificado por essa decisão do Ministério Público e não vai comentar o caso.

A Delegacia Geral de Mafra também preferiu não se pronunciar. Já a Secretaria de Estado da Justiça e Cidadania, que é responsável pela administração prisional, disse não sabia da participação desses dois agentes penitenciários e também preferiu não comentar o caso até que seja notificada.

*Com informações da RIC TV Record SC

Participe do grupo e receba as principais notícias
de Joinville e região na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.
+

Polícia

Loading...