Donos de farmácia são presos por venda ilegal de medicamentos em Criciúma

Casal foi autuado em flagrante por tráfico de drogas pela Polícia Civil que encontrou depósito com diversos remédios de 'faixa preta' sem comprovação de origem

A Polícia Civil de Criciúma, através da  Divisão de Repressão aos Entorpecentes da Divisão de Investigação Criminal, prendeu os proprietários de uma farmácia, no bairro Santa Luzia, por venda de medicamentos irregulares e sem cadastro na Anvisa.

O homem de 58 anoes e a esposa de 56 anos foram autuados em flagrante pelos crimes de tráfico de drogas e associação para o tráfico, sendo encaminhados ao Presídio Regional e Criciúma.

Diversos remédios de ‘faixa preta’ sem comparação de origem foram apreendidos na farmácia no bairro Santa Luzia em Criciúma – Foto: Polícia Civil/NDDiversos remédios de ‘faixa preta’ sem comparação de origem foram apreendidos na farmácia no bairro Santa Luzia em Criciúma – Foto: Polícia Civil/ND

Dois meses de investigação

Foram dois meses de investigação, onde foram obtidos indícios da venda de remédios irregulares. Na tarde desta quarta-feira (16), a Polícia Civil cumpriu mandado de busca e apreensão na farmácia e encontrou um depósito clandestino na casa dos proprietários.

No depósito, que ficava a poucos metros da farmácia, foram apreendidas dezenas de caixas de remédios “faixa preta”, que só podem ser vendidos com retenção da receita médica.

Depósito foi encontrado na casa dos proprietários da farmácia – Foto: Polícia Civil/NDDepósito foi encontrado na casa dos proprietários da farmácia – Foto: Polícia Civil/ND

“Tais medicamentos não estavam cadastrados no sistema da Anvisa, não possuíam origem comprovada e são considerados substâncias entorpecentes capazes de causar dependência física e psíquica, conforme Anexo I, da Portaria nº 344, de 22 de maio de 1998 da ANVISA, atualizada pela Resolução – RDC nº 265, de 8 de novembro de 2019, incluidos na Lista “B1” de Substâncias Entorpecentes, Psicotrópicas, Precursoras e Outras sob Controle Especial, configurando assim sua guarda e depósito, fora dos padrões exigidos pela Anvisa, como foi o caso em comento, no crime de tráfico de drogas previsto no art. 33, da Lei 11.343/06”, explica o delegado responsável pelo caso, André Milanese.

Remédios apreendidos no depósito:

  • 29 caixas de Clonazepam 2mg;
  • 23 caixas de Clonazepam 0,5mg;
  • 21 caixas de Clonazepam gotas 2,5mg/L;
  • 13 caixas de Bromazepam 6mg;
  • 14 caixas de Bromazepam 3mg;
  • 2 caixas de Rivotril 0,25mg;
  • 19 caixas de Sibutramina 15mg;
  • 9 caixas de Lorazepam 2mg;
  • 2 caixas de Alprazolam 2mg;
  • 1 caixa de Alprazolam 1mg;
  • 1 caixa de Alprazolam 0,5mg;
  • 3 caixas de Ritalina 10mg;
  • 6 caixas de Diazepam 10mg;
  • 6 caixas de Diazepam 5mg.
+

Polícia

Loading...