Dr. Jairinho e Monique são indiciados pela Polícia Civil do Rio

Casal foi indiciado por homicídio duplamente qualificado. Defesa do vereador diz que "a pressão da opinião pública não pode interferir sob pena do cometimento de erros graves"

A Polícia Civil do Rio de Janeiro indiciou por homicídio duplamente qualificado (quando há impossibilidade de defesa da vítima e pelo emprego de tortura) o vereador Jairo Souza Santos Júnior, conhecido como Dr. Jairinho (sem partido), e a professora Monique Medeiros, padrasto e mãe de Henry Borel, de 4 anos.

Dr. Jairinho e Monique Medeiros, mãe do menino Henry Borel, saem da 16ª DP, após prestarem depoimento – Foto: Tânia Rêgo/Agência Brasil/Divulgação/NDDr. Jairinho e Monique Medeiros, mãe do menino Henry Borel, saem da 16ª DP, após prestarem depoimento – Foto: Tânia Rêgo/Agência Brasil/Divulgação/ND

O laudo do Instituto Médico Legal revelou que o menino, morto no dia 8 de março, sofreu 23 lesões, três delas na cabeça, e morreu devido a uma hemorragia no fígado provocada por ação violenta.

Além do homicídio, o vereador também foi indiciado por outras duas situações de crime de tortura, ocorridos em fevereiro, e Monique, por ‘tortura por omissão’, porque, segundo as investigações, ela sabia que o filho estava sendo torturado e não agiu para evitar o crime.

O inquérito foi enviado para o Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro que vai decidir se denuncia ou não o casal pelos crimes relatados.

+

Polícia