‘Ele não estava depressivo’: família desmente boatos sobre incêndio que matou pai e gêmeos

Família de Alessio Sávio Cognaco precisou vir a público esclarecer informações "mal repassadas" sobre a tragédia que vitimou ele e os gêmeos Bruno e Lucas, de sete anos

“Ele não tentou se matar e nem matou os filhos”. A família de Alessio Sávio Cognaco, de 56 anos, pai dos gêmeos Bruno e Lucas, de apenas sete anos, está tentando desmentir boatos acerca da morte de Alessio e dos gêmeos, que ocorreu durante um incêndio em uma residência na noite da última terça-feira (11), em Florianópolis.

Pai e filhos morreram durante incêndio – Foto: Internet/Reprodução/NDPai e filhos morreram durante incêndio – Foto: Internet/Reprodução/ND
Casal morreu com menos de um ano de diferença – Foto: Internet/Reprodução/NDCasal morreu com menos de um ano de diferença – Foto: Internet/Reprodução/ND

Segundo publicado na internet pela ex-cunhada de Alessio, Viviane Martini,, “ele [Alessio] tentou de todas formas salvar a vida deles. Ele não estava depressivo, não falem merda, a dor não é de vocês e sim nossa. Que eles descansem em paz”.

Os boatos de que Alessio estaria depressivo começaram a rodar na web após os internautas terem descoberto a morte de sua esposa, Ana, em 2021, por problema de saúde.

Na continuidade, os internautas alegavam que Alessio teria colocado fogo na própria casa com os filhos dentro, devido a um suposto quadro de depressão, o que os familiares negam.

“Por trás de toda essa tragédia e especulações existe uma família que está sofrendo demais”, diz Viviane.

“Existe dois irmãos que estão acompanhando tudo o que as pessoas mal informadas estão repassando, foram três familiares que se foram nessa tragédia”. Ela termina pedindo por “mais empatia por favor. Respeitem o luto da família”.

Alessio e os meninos ainda não foram enterrados pela família, pois os corpos, que foram carbonizados no incêndio, estão no IGP (Instituto Geral de Perícia) aguardando exames de DNA com suas identificações para serem liberados.

Entenda o ocorrido

Por volta das 20h de terça-feira (11), o Corpo de Bombeiros foi acionado para o combate às chamas na residência da família, que era de madeira, localizada na rua Irmã Bonavita, próxima ao limite entre os bairros Estreito e Capoeiras.

A residência foi totalmente consumida pelas chamas e, no trabalho de rescaldo, foram encontradas três pessoas carbonizadas. Os corpos estavam na cozinha da residência, que fica aos fundos da casa, com menos de um metro de distância entre eles. Um cachorro também foi encontrado morto.

Incêndio deixou três mortos na região continental de Florianópolis – Vídeo: Carolina Alves Silva/NDTV

O incêndio iniciou na frente da casa de madeira, que foi totalmente consumida pelas chamas. Os bombeiros cortaram a energia elétrica e montaram duas linhas de atuação, uma de combate direto às chamas e outra para preservação das casas vizinhas.

Segundo a Defesa Civil, o homem tinha cinco filhos, sendo que três moravam com ele. O menino de 10 anos, que não estava em casa durante o incêndio, foi levado à casa de parentes. Outros dois filhos, de 17 e 20 anos, moram com familiares.

Laudo tem prazo de até 30 dias

Um laudo do Corpo de Bombeiros será elaborado e o documento, pelo prazo legal, tem 30 dias para ficar pronto.

A Polícia Civil, via Delegacia do Continente, abriu um inquérito para investigar a causa do sinistro que, segundo repassado, teve origem na parte frontal da residência.

Participe do grupo e receba as principais notícias
da Grande Florianópolis na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.
+

Polícia

Loading...