‘Um membro da família’: tutores buscam por cachorro roubado durante passeio em Florianópolis

Cão da raça Lulu da Pomerânia foi arrancado das mãos do tutor na noite desta quinta-feira (27), no bairro Capoeiras

A família responsável pelo cãozinho Maru, que foi roubado na noite desta quinta-feira (27), em Florianópolis, está muito abalada e oferece uma recompensa para quem tiver informações sobre o cachorro. Em entrevista ao Balanço Geral Florianópolis, a irmã do tutor do Lulu da Pomerânia, Jéssica Gabriele Maia dos Santos, disse que o animal é “como um membro da família”.

‘Um membro da família’: tutores buscam por cachorro roubado durante passeio em Florianópolis – Foto: Reprodução/Internet/ND‘Um membro da família’: tutores buscam por cachorro roubado durante passeio em Florianópolis – Foto: Reprodução/Internet/ND

“Ele foi brutalmente tirado das mãos do tutor dele, o André, por dois homens que disseram estar armados e ameaçaram o André, que pouco teve como reagir diante dessa situação. Eles correram em direção ao Monte Cristo, Coloninha, a gente não tem muita certeza. Tinha um terceiro elemento parado na esquina que acompanhou os outros dois na corrida”, contou Jéssica.

Maru tem 3 anos e está com o casal Priscila e André desde filhote. Por volta das 21h40 desta quinta, André caminhava com o cãozinho pela rua Nagib Jabor quando foi abordado por dois homens. O tutor estava com o cachorro próximo a uma lixeira quando percebeu a aproximação dos homens. Um deles arrancou a guia da mão de André enquanto o outro segurou o cachorro no colo.

Segundo Jéssica, Maru “tem problemas [de saúde], passou recentemente por cirurgia pra retirada de pedras nos rins e ele tem uma alimentação diferenciada, ele não pode comer qualquer coisa, ele precisa tomar bastante água. A gente precisa muito ter o Maru de volta”.

Priscila e André são os tutores de Maru – Foto: Reprodução/NDPriscila e André são os tutores de Maru – Foto: Reprodução/ND

Até a manhã desta sexta-feira (28), ainda não havia informações sobre o paradeiro de Maru. A Polícia Militar e a Polícia Civil trabalham no caso.

“A minha cunhada não tá em condições de falar, nem o André. Eles tão muito nervosos e não conseguem parar de chorar porque ele é como um membro da família”, contou a irmã do tutor do cachorro.

A diretora de Polícia da Grande Florianópolis, delegada Michele Alves Correa Rebelo, determinou a abertura de um procedimento investigativo pela Delegacia de Polícia do Continente, que vai apurar o fato.

Quem tiver alguma informação sobre o paradeiro de Maru pode entrar em contato pela página do 22º BPM na internet ou pelo 190 e com a Polícia Civil através do Disque Denúncia 181, no WhatsApp ou Telegram pelo telefone (48) 98844-0011.

Confira mais informações na reportagem do BG Floripa.

+

BG Florianópolis

Loading...