Filha de policial morto no Oeste de SC é suspeita de matar o pai

A DIC, responsável pelo caso, informou que as duas meninas confessaram o planejamento e a execução do crime contra o homem de 46 anos

As investigações sobre a morte do policial civil Neife Luiz Werlang, de 46 anos, morto com golpes de faca dentro de casa, apontam até o momento que a filha da vítima e uma amiga, duas adolescentes, são as principais suspeitas de cometer o crime.

Na noite de sexta-feira (15), em São Miguel do Oeste, no Extremo-Oeste de Santa Catarina, Werlang foi encontrado morto com três facadas no pescoço.

Werlang tinha 46 anos e, desde 1996, integrava a polícia de Santa Catarina – Foto: Internet/Reprodução/NDWerlang tinha 46 anos e, desde 1996, integrava a polícia de Santa Catarina – Foto: Internet/Reprodução/ND

O agente de 46 anos foi encontrado caído em um dos cômodos da casa onde morava. A DIC (Divisão de Investigação Criminal), responsável pelo caso, informou que as duas adolescentes confessaram o planejamento e a execução do crime.

Elas foram apreendidas e, agora, estão sob custódia da DPCAMI (Delegacia de Proteção à Criança, ao Adolescente, à Mulher e ao Idoso). O Poder Judiciário irá assumir o caso.

Entenda o caso

Neife Luiz Werlang, de 46 anos, foi encontrado morto, em casa, na noite de sexta-feira (15), em São Miguel do Oeste. O homem era policial civil em Santa Catarina desde 1996, e apresentava três cortes de faca no pescoço.

A vítima foi encontrada na rua Jorge Lacerda, no bairro Agostini. Quando o Corpo de Bombeiros Militar chegou no endereço, Werlang já estava morto em decorrência dos graves ferimentos. Ele atuava em Paraíso, município do Oeste catarinense.

O delegado  João Westphal Martins, que coordena a DIC em São Miguel do Oeste, explicou que a investigação do caso começou ainda na noite de sexta-feira e se estendeu durante a madrugada deste sábado (16).

Participe do grupo e receba as principais notícias
de Chapecó e região na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.
+

Polícia

Loading...