Funcionário da Casan de Chapecó é investigado por corrupção passiva; entenda

O prejuízo está calculado em cerca de R$ 200 mil e o empregado teve afastamento cautelar da função; Polícia Civil segue investigando o caso

Após oito meses de investigações, a PC (Polícia Civil) desvendou crimes de corrupção passiva envolvendo um funcionário da Casan (Companhia Catarinense de Água e Saneamento) de Chapecó, no Oeste de Santa Catarina. O homem, de aproximadamente 40 anos de idade, trabalhava na empresa há cerca de 10 anos. 

Imagem da fachada da Casan Chapecó com carros estacionados na frente. São três carros brancos e um deles com o símbolo da Casan.O funcionário atua na Casan de Chapecó há cerca de 10 anos. – Foto: Casan Chapecó/Divulgação

A investigação foi concluída nesta semana pelo delegado Bruno D’Lélis, da 5ª Delegacia de Polícia Especializada no Combate à Corrupção, e o suspeito foi denunciado ao MPSC (Ministério Público de Santa Catarina). O funcionário teve afastamento cautelar da função.

Prejuízo está em cerca de 200 mil reais

De acordo com o delegado, o funcionário solicitava valores de empresas privadas pelo uso de alguns serviços prestados pela Casan, em Chapecó. Porém, a empresa deveria realizar o pagamento de taxas direto com a Companhia, o que não ocorria.  

A prática criminosa era realizada com frequência e, ao menos, ocorria desde 2018. O prejuízo está calculado em R$ 200 mil. Segundo o delegado, foram ouvidas cerca de dez pessoas.

“A Companhia não foi notificada e está solicitando acesso ao inquérito a fim de avaliar eventuais providências internas, mantendo-se à disposição das autoridades para colaborar com o regular deslinde do caso”, informou a Casan. 

O caso segue sendo acompanhado.

Acesse e receba notícias de Chapecó e região pelo WhatsApp do ND+

Entre no grupo
+

Polícia