Funcionários que vendiam carne vencida em Itajaí coagiam testemunhas

Os dois indiciados foram presos preventivamente por comprometerem a investigação do caso

Dois funcionários foram presos em Itajaí acusados de coagir testemunhas e comprometer a investigação da operação “El Patron”, que investiga roubo de cargas e crimes contra as relações de consumo em Santa Catarina.

Carne vencida virava espeto corrido às margens da BR-101. – Foto: Polícia Civil/DivulgaçãoCarne vencida virava espeto corrido às margens da BR-101. – Foto: Polícia Civil/Divulgação

Os dois funcionários faziam a coleta e revenda das carnes vencidas para restaurantes. Um deles já tinha tornozeleira eletrônica, e o segundo foi indiciado depois da análise dos itens apreendidos no último dia 29.

Ambos foram presos preventivamente na tarde da última sexta-feira (5) em Itajaí. Eles foram encaminhados para o sistema prisional. Segundo a Polícia Civil, o inquérito policial deve ser concluído nos próximos dias.

Relembre o caso

Uma churrascaria foi interditada em Itajaí por comercializar carne vencida. O restaurante, que fica às margens da BR-101, anunciava espeto corrido a R$ 16,99. A operação foi deflagrada no último dia 29.

A operação, comandada pelo delegado Osnei Valdir de Oliveira, da Delegacia de Furtos e Roubos de Cargas da DEIC (Diretoria Estadual de Investigações Criminais), cumpriu dez mandados de busca e apreensão em Itajaí e em Balneário Piçarras.

Acesse e receba notícias de Itajaí e região pelo WhatsApp do ND+

Entre no grupo
+

Polícia