Homem chama transexual de ‘viadinho’ e apanha de amigo gay em Balneário Camboriú; vídeos

Grupo de amigos vieram de Brasília comemorar o aniversário em Balneário Camboriú; episódio de homofobia acabou com a viagem

Um xingamento homofóbico gerou pancadaria no molhe próximo a roda gigante de Balneário Camboriú no Litoral Norte de Santa Catarina na última segunda-feira (11). Um grupo de amigos que vieram de Brasília (DF) e passeavam pelo ponto turístico quando um homem ameaçou uma integrante do grupo, que é transexual.

As agressões foram gravadas pelo grupo de amigos e é possível ouvir o momento em que um homem fala “sai da frente, viadinho. Senão vou te dar um chute na bunda que vai parar na lua”. As agressões foram relatadas pela artista drag Pikineia ao Metrópoles.

Vídeo mostra homem chamando transexual de “viadinho” – Vídeo: Reprodução Metrópoles

As imagens foram gravadas com um recurso no qual é possível filmar segundos antes de tirar a foto. “Fiquei parada e observando o homem. Ele saiu pela passarela onde estávamos e foi xingando todo mundo. Homem, mulher, qualquer um que aparecesse”, contou a artista.

A viagem era para comemorar o aniversário da artista, as agressões continuaram até que o influenciador Gabriel Nunes, de 25 anos, que é gay, reagiu às agressões verbais e partiu pra cima do homem. “Eu fui até ele, tirei satisfação e, mesmo assim, ele continuou xingando de viadinho”.

Influenciador gay revida ataques homofóbicos em Balneário Camboriú – Vídeo: Reprodução Metrópoles

Os dois começaram a brigar e mesmo depois de ser derrubado no chão, o homem continuou xingando o grupo de amigos, mas saiu do local após Gabriel revidar. Ainda de acordo com o grupo de amigos, depois de sair do local o homem acertou um rapaz com Síndrome de Down.

Gay revida xingamentos homofóbicos em Balneário Camboriú – Foto: Reprodução MetrópolesGay revida xingamentos homofóbicos em Balneário Camboriú – Foto: Reprodução Metrópoles

“Ainda bem que não acertou. Depois, ainda parou um homem sem camisa, falou algo que não deu para ouvir e tomou um soco na cara”, contou a artista.

As agressões acabaram com a viagem dos amigos, com medo de outra reação preconceituosa, o grupo preferiu voltar ao hotel. “Nunca briguei na minha vida por nada, nunca sofri homofobia. Chorei horrores, mas sempre vou lutar contra a homofobia”, contou Gabriel.

Participe do grupo e receba as principais notícias
de Itajaí e região na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.
+

Polícia

Loading...