Investigação com polícia dos EUA prende uma pessoa em Camboriú

Homem foi preso por fraude bancária virtual na manhã desta segunda-feira (24)

Um homem foi preso por fraude bancária virtual, nesta segunda-feira (24), no bairro Tabuleiro, em Camboriú. A investigação iniciou em 2019, pela Polícia Civil do Distrito Federal, após a quadrilha furtar R$ 648.143,45 da conta bancária de duas pessoas de Brasília.

Segundo a polícia, o esquema criminoso agia por meio de mensagens de SMS e WhatsApp. Além da prisão temporária, um mandado de busca e apreensão foi cumprido pela Polícia Civil de Santa Catarina.

Homem foi preso por fraude bancária virtual na manhã desta segunda-feira (24), em Camboriú – Foto: Polícia Civil do Distrito Federal

Por meio da operação “Quick Response” foi constatado que duas pessoas, entre 40 e 50 anos, receberam por mensagem SMS, um link que as direcionou para uma página falsa de um banco. Após acessarem o endereço digital, as vítimas começaram a ser contatadas pelos criminosos no WhatsApp.

Com todas as informações bancárias em mãos, a quadrilha criou cadastrados em um aplicativo bancário e furtou a quantia. O dinheiro foi depositado em diferentes contas espalhadas pelo Brasil. Até o momento, 20 pessoas fizeram saques. Um dos pagamentos foi destinado a impostos de uma unidade federal, não divulgada pela investigação.

Assista o momento da prisão:

Os crimes foram realizados em uma empresa estadunidense. Com o apoio da PF norte-americana, identificaram o brasileiro que fazia parte do esquema internacional. O morador de Camboriú já tinha passagem na polícia por crime de fraude bancária cometida pela internet.

Ele será levado nesta tarde à Brasília, onde responderá pelos crimes de: furto mediante fraude, lavagem de dinheiro e organização criminosa.

Tempo de cumprimento das penas:
– furto mediante fraude, dois a oito anos;
– organização criminosa, três a oito anos;
– lavagem de dinheiro, três a dez anos.

Busca e apreensão de objetos da casa do suspeito:

Polícia Civil do Distrito Federal

No vídeo abaixo, o delegado Dário Taciano de Freitas Junior, da Delegacia Especial de Repressão aos Crimes Cibernéticos, do Distrito Federal, passou mais informações sobre o caso, para a reportagem do ND Mais. Confira:


Como funciona este golpe bancário:

Passo a passo do golpe – Foto: Polícia Civil do Distrito Federal


Assista o vídeo que mostra o contato dos criminosos com a vítima:

+

Polícia