Homem morto com tiro no peito em Palmitos tentou separar briga, diz delegado

Dion Leno Pedersini morreu no fim da tarde do último sábado (29) no bar do pai na linha Cascalho

O suspeito de matar com um tiro Dion Leno Pedersini, de 30 anos, em um bar na linha Cascalho, no interior da cidade de Palmitos, no Oeste de Santa Catarina, foi preso em flagrante por homicídio doloso. As informações são da Polícia Civil.

Dion Leno teria tentado separar uma briga quando foi atingido. – Foto: Arquivo Pessoal/ReproduçãoDion Leno teria tentado separar uma briga quando foi atingido. – Foto: Arquivo Pessoal/Reprodução

O crime ocorreu no fim da tarde do último sábado (29). De acordo com o delegado da Polícia Civil, Luiz Schaefer, responsável pelo caso, três revólveres também foram apreendidas.

Conforme Schaefer, a vítima teria ido visitar seu pai, que era proprietário do bar, e quando chegou ao local o suspeito, que não teve a identidade revelada, estava bêbado e com um revólver. Ele teria iniciado uma discussão com outro homem que também estaria armado.

Dion Leno tentou separar a briga e acabou atingido por um tiro no peito. Ele foi socorrido por amigos e durante o deslocamento até o hospital, a ambulância do Corpo de Bombeiros Militar encontrou o carro em que estava Dion Leno. Ele estava no banco do carona e apresentava ferimento no tórax.

Polícia Civil de Palmitos investiga o caso – Foto: Polícia Civil/Divulgação/NDPolícia Civil de Palmitos investiga o caso – Foto: Polícia Civil/Divulgação/ND

Segundo os socorristas, a vítima já estava com ausência de sinais vitais. Depois da avaliação preliminar, o corpo do homem foi levado ao Hospital Regional de Palmitos.

O suspeito de atirar contra Dion Leno foi imobilizado por pessoas que estavam no bar e entregue à polícia. Após ser autuado em flagrante, foi encaminhado ao presídio de Chapecó, onde permanece à disposição da Justiça.

A Polícia Civil prossegue com a investigação, inclusive com relação a um suposto incêndio na casa do suspeito logo após o crime no bar, com o interrogatório de todas as testemunhas. Além disso, serão realizadas  outras diligências, além das perícias a cargo do IGP (Instituto Geral de Perícias).

De acordo com o delegado responsável, outras informações serão repassadas ao fim da investigação.

Participe do grupo e receba as principais notícias
de Chapecó e região na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.
+

Polícia

Loading...