Identificados agressores de equipe de reportagem da NDTV Record

Polícia Militar e testemunhas já sabem quem atacou a equipe de reportagem da equipe da NDTV; Polícia Civil irá investigar o caso

Os agressores da equipe de reportagem da NDTV Record Joinville, que estava trabalhando no sábado (15) a noite e foi covardemente atacada, já foram identificados tanto pela Polícia Militar quanto por testemunhas.

agressores da equipe de ndtvJonathan Borges Pereira, de 22 anos, João e Jakson Fabiano Veiga da Silva, de 23 anos. – Foto: Montagem/Divulgação ND

João, garçom da choperia, foi o primeiro a partir para cima da equipe. Depois disso, Jonathan Borges Pereira, de 22 anos, agrediu o repórter Ronaldo Daros com socos no rosto e no estômago. Já quem destruiu o carro foi Jakson Fabiano Veiga da Silva, de 23 anos. Este, inclusive, já tem  passagens policiais por agressão.

Ruy Teixeira, capitão da Polícia Militar, confirmou que os agressores foram identificados e que agora o trabalho de investigação ficará a cargo da Polícia Civil.

A equipe de reportagem registrou Boletim de Ocorrência e o repórter Ronaldo fará exame de corpo de delito nesta segunda-feira (17). 

Como foi o ataque

Tudo começou com uma briga entre clientes dentro Choperia Dona Francisca, na rua Visconde de Taunay, área central de Joinville. O segurança retirou as pessoas que estavam brigando colocando-as para fora.

Nesse momento, o carro da equipe de reportagem da NDTV Record Joinville chegou e o repórter Ronaldo Daros começou a filmar, fazendo seu trabalho, quando começaram as agressões. Ronaldo estava dentro do carro com os vidros abertos e foi agredido primeiro pelo garçom João e depois por Jonathan com tapas e socos no rosto e no estômago. 

Nesse momento, o operador de câmera Ricardo Alves desceu do carro e tentou conter os agressores e defender o colega, porém, foi empurrado.

A atitude do garçom chamou a atenção, pois ele foi o primeiro que partiu para cima da equipe. Um dos vídeos que o Grupo ND teve acesso mostra o momento em que ele arranca o celular da mão do repórter Ronaldo Daros. Logo após, outras pessoas envolvidas na briga se voltam contra a equipe de reportagem e aí começou uma série de agressões e ameaças, inclusive de morte.

Depois disso, a equipe conseguiu fugir do local e avisar a Polícia Militar.

O vídeo abaixo gravado por uma cliente do estabelecimento mostra o momento em que o repórter Ronaldo está sendo coagido e agredido dentro do carro. Ele levou socos e tapas, e foi obrigado a apagar as imagens, que posteriormente foram recuperadas na nuvem.

Não contente, um dos envolvidos – Jakson Fabiano Veiga da Silva – pula em cima do carro da equipe de reportagem, danificando o capô e quebrando o para-brisa.

Parte da frente do carro foi totalmente destruída pelos agressores – Foto: Ricardo Alves/NDTVParte da frente do carro foi totalmente destruída pelos agressores – Foto: Ricardo Alves/NDTV

A equipe, então, consegue sair do local para avisar a polícia. 

No entanto, mesmo após a saída da NDTV Record, a briga continua no estacionamento do estabelecimento. Nos relatos que apareceram, uma testemunha diz que o agressor Jonathan Borges Pereira apanhou. Teria sido atendido em um hospital particular da cidade e fugido quando a Polícia Militar chegou.

Em nota, a unidade confirmou que ele deu entrada no hospital, recebeu atendimento e foi liberado. Porém, não estava autorizada a repassar informações sobre o prontuário do paciente.

No vídeo abaixo, aparece, ainda, um garçom segurando um pedaço de pau. No fim, é possível ver a viatura da Polícia Militar estacionando.

A reportagem entrou em contato com a Choperia Dona Francisca, que informou que todos os funcionários da casa estavam tentando conter os agressores. Sobre o garçom identificado apenas como João, a choperia ficou de conversar com o jurídico antes de passar um posicionamento oficial.

*Com informações de Dani Lando, da NDTV Record Joinville

Participe do grupo e receba as principais notícias
de Joinville e região na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.
+

Polícia