Investigações de um acidente de carro envolvendo policial civil apontam para homicídio

O acidente ocorreu em Correia Pinto na segunda-feira e as investigações terminaram na quarta

O que seria uma morte provocada por acidente de trânsito acabou sendo apontado como homicídio. A conclusão veio das investigações dos agentes da 8ª Delegacia Regional de Polícia Civil de Lages, encerradas na quarta-feira (19). O acidente que vitimou o policial civil Ari dos Santos, 41 anos, ocorreu na segunda-feira (17).

Assim que souberam do acidente onde um colega de profissão havia perdido a vida, os investigadores foram até o local. A vítima estava no banco de trás de um Citroën C3, que havia colidido na traseira de um caminhão na altura de Correia Pinto, na BR-116.

O motorista do caminhão contou aos policiais que uma mulher, que dirigia o veículo na hora do acidente, fugira em um outro carro que estava estacionado às margens da rodovia. A conclusão dos policiais aponta para assassinato. Arti teria sido morto em casa e estaria sendo transportado no veículo que se acidentou até um sítio em Bandeirinhas, interior do município, onde o corpo seria ocultado.

Há indícios também da participação do amante da mulher do policial morto, um homem de 39 anos. Conforme a Polícia Civil, a mulher provavelmente estava tentando se comunicar com o amante, que estava em um GM/Monza estacionado no acostamento da BR.

A motivação, segundo as investigações, seria o recebimento de valores relativos ao seguro do carro e à pensão que Ari deixaria para a mulher, que dariam estabilidade para os amantes, que foram presos em flagrante e encaminhados para o Presídio Regional de Lages. As investigações prosseguem para saber o destino da arma do policial civil, uma pistola PT 940, que segue desaparecida.

+

Polícia