Jovem que acordou com a barriga aberta em praia conta versão

Gabriel Muniz contou ainda do hospital o que lembra da noite que sofreu cortes na barriga por cacos de vidro de uma garrafa

O jovem Gabriel Muniz, de 20 anos, que foi encontrado com a barriga aberta na praia de Guarapari, no Espírito Santo, conta sua versão sobre o ocorrido que tomou a internet com teorias mirabolantes.

Gabriel Muniz conversou ainda do hospital e relatou o que lembra sobre o ocorrido – Foto: Arquivo Pessoal/NDGabriel Muniz conversou ainda do hospital e relatou o que lembra sobre o ocorrido – Foto: Arquivo Pessoal/ND

O universitário conversou com a Record TV por telefone do quarto que está internado em um hospital particular de Vitória. Além disso, ele afirmou que não corre mais risco de vida e que deve voltar para casa em menos de um mês.

O caso ganhou repercussão após uma série de especulações e até mesmo o vazamento de imagens da cirurgia que o jovem foi submetido.

Entre as teorias que mais ganharam “fôlego” na web, está a que a namorada do universitário foi a autora dos cortes que, segundo relatos, seria estudante de medicina e que teria retirado parte do intestino do rapaz. No entanto, ele nega a narrativa.

“Eu tinha passagem comprada para os Estados Unidos. Eu ia viajar na segunda-feira [17] para estudar e ia passar no mínimo seis meses por lá”, afirma. Eles andaram por uma trilha e foram para um local mais afastado.

Jovem é encontrado com a barriga aberta em praia de Guarapari, no Espírito Santo – Foto: Internet/Reprodução/NDJovem é encontrado com a barriga aberta em praia de Guarapari, no Espírito Santo – Foto: Internet/Reprodução/ND

Além disso, ele conta para a reportagem que ele e a namorada estavam embriagados, mas não quis falar se realmente fizeram uso de substâncias ilícitas. Além disso, ele afirma que não se recorda precisamente do que aconteceu por conta da bebida, mas que o casal foi surpreendido por um grupo de pessoas.

“Até agradeço a Deus por não lembrar, minha mente bloqueia. Lembro apenas da sensação de ser segurado e de ter sido golpeado muitas vezes na cabeça e no rosto. Não me lembro do momento do corte no intestino”, conta Muniz.

O jovem relata ainda que teve o celular levado pelo suposto grupo de agressores, mas que a namorada ainda encontrou o aparelho jogado na areia da praia.

Além disso, ele nega que os cortes foram cirúrgicos, como foi levantado durante as suposições, e que foram na altura do umbigo e realizado por cacos de vidro de uma garrafa.

“Perdi uma parte do intestino, mas consigo viver com o que restou do trato intestinal. Já estou caminhando normalmente”, contou Muniz.

Além disso, ele passou uma semana internado em UTI (Unidade de Tratamento Intensivo) e depois transferido para um quarto.

Enquanto isso, destaca que a namorada também sofreu lesões na cabeça e nos braços, mas que também não lembra os detalhes do ocorrido.

Por meio de nota, Lécio Silva Machado, advogado de Muniz e da namorada, afirma que o casal “foi vítima de uma ação criminosa e violenta praticada por terceiros ainda desconhecidos, durante um luau que realizavam a dois”.

+

Polícia

Loading...