Jovem que pediu socorro por bilhete pode ter sido assediada duas vezes

Ela contou à polícia que sofreu os assédios nos dias 26 e 27 de maio e que denunciou o caso na madrugada de sábado (29); caso ocorreu em Chapecó

O caso do pedido de socorro por meio de um bilhete, enviado por uma cozinheira de uma lancheria de Chapecó, no Oeste catarinense, segue sendo investigado pela Polícia Civil. O fato ocorreu entre a noite da última sexta-feira (28) e madrugada de sábado (29).

Guarda Municipal localizou drogas no estabelecimento – Foto: Guarda Municipal/Divulgação/NDGuarda Municipal localizou drogas no estabelecimento – Foto: Guarda Municipal/Divulgação/ND

A vítima e o suspeito, proprietário da lancheria, já foram ouvidos. A polícia foi informada pela jovem de 19 anos que os assédios teriam ocorrido em dois momentos, dias 26 e 27.

“A situação apresentada na madrugada do dia 29 não configurava nenhuma das hipóteses do artigo 302 do Código de Processo Penal, ou seja, não é uma situação de flagrante. Mas a jovem relatou que teria sofrido os assédios nesses dois dias, 26 e 27”, explica o delegado de polícia plantonista no dia do fato, Bruno D’Lélis.

As investigações prosseguirão em inquérito policial instaurado no intuito de obter outros elementos que possam ajudar no esclarecimento do fato. Além disso, a Polícia Civil não irá mais se manifestar até a conclusão dos procedimentos.

De acordo com o delegado regional da 12ª Delegacia de Polícia Civil, Ricardo Newton Casagrande, o caso deve ser apurado por uma delegacia de área.

O caso

A história chegou ao conhecimento da polícia após um casal de Chapecó ter feito um pedido por delivery na noite de sexta-feira. Quando recebeu o pacote do lanche, por volta das 00h30, viu o guardanapo com o pedido de ajuda. Foram eles que acionaram a Guarda Municipal.

“Por favor, chame a polícia nesse endereço. Meu chefe está me assediando e está tentando me drogar. Sou cozinheira. Por favor, não é brincadeira”, dizia o bilhete.

O bilhete foi entregue aos guardas municipais. – Foto: Guarda Municipal/Divulgação/NDO bilhete foi entregue aos guardas municipais. – Foto: Guarda Municipal/Divulgação/ND

Em conversa com os guardas, a jovem relatou que seu chefe a havia oferecido cocaína e teria passado a mão em suas pernas e pescoço. Depois, novamente lhe ofereceu drogas e R$ 150,00 para cada vez que “dormisse” com ele. Segundo ela, ele ainda a agarrou e tentou levá-la para o quarto, mas a jovem conseguiu escapar.

Mais tarde, conforme relatou a vítima, ele novamente ofereceu cocaína. Como ela recusou, ofereceu então um copo de vinho com refrigerante no qual ele teria colocado um produto branco.

Em buscas no local a guarnição localizou em um quarto duas buchas de cocaína.

Participe do grupo e receba as principais notícias
de Chapecó e região na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.
+

Polícia